Cade aprova compra da Nike do Brasil pelo dono da Centauro (CNT03)

Cade aprova compra da Nike do Brasil pelo dono da Centauro (CNT03)
Parte interna de loja da Centauro. (foto: divulgação)

O Grupo SBF, controlador da Centauro (CNTO3), comunicou ao mercado neste sábado (15) que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a compra das operações da Nike no Brasil, sem restrições.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

De acordo com o fato relevante do dono da Centauro, a decisão ainda está sujeita a recurso por terceiros interessados ou avocação do ato de concentração por conselheiros do Tribunal Administrativo do Cade pelo prazo de 15 dias da data da publicação da decisão.

“Caso não seja interposto recurso nem ocorra a avocação no prazo antes citado, a decisão transitará em julgado, tornando-se definitiva”, informou a companhia.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Grupo SBF, dono da Centauro, compra operação da Nike no Brasil

O grupo SBF adquiriu a operação da Nike no Brasil, em fevereiro deste ano. O acordo foi fechado por R$ 900 milhões.

Com isso, o grupo  passará a ser o responsável pela distribuição, política comercial, gestão de lojas e vendas por 10 anos. O acordo, em que o prazo pode ser renovado, no entanto, não inclui direitos da Nike, como propriedade intelectual.

O acordo engloba a gestão do comércio eletrônico da companhia norte-americana no Brasil, além do controle de 24 unidades físicas Nike Factory e aproximadamente 15 lojas parceiras. O valor a ser desembolsado pela SBF inclui o capital de giro e todo o estoque da empresa.

Em entrevista ao jornal “Valor Econômico”, Pedro Zemel, diretor-presidente da SBF, afirmou que foram fechados dois contratos distintos, um envolve a aquisição e outro relativo à atividade local.

Com isso, segundo ele, o grupo planeja manter os negócios independentes, seguindo as regras de governança corporativa entre as atividades e a autonomia nas decisões. A sede da Nike em São Paulo continuará ativa.

Zemel, ainda disse que haverá o pagamento de royalties à marca estadunidense. Durante os próximos cinco anos, o SBF poderá abrir lojas da Nike no Brasil. Da mesma forma que a operação, este prazo pode ser renovável.

Parte dos R$ 900 milhões são oriundas de linhas garantidas com Santander (SANB3), Itaú BBA e Bradesco BBI. O pagamento da transação será incluído no balanço do dono da Centauro no terceiro trimestre deste ano.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião