Resultados do 2T22

Warren Buffett: Berkshire Hathaway (BERK34) compra US$ 3 bi em fatia no Citigroup (CTGP34)

Warren Buffett: Berkshire Hathaway (BERK34) compra US$ 3 bi em fatia no Citigroup (CTGP34)
Warren Buffett preside o Conselho e é CEO da Berkshire Hathaway

A Berkshire Hathaway (BERK34), de Warren Buffett, comprou cerca de 55 milhões de ações do Citigroup (CTGP34) – equivalente a 2,8% do capital social da companhia – ao longo do primeiro trimestre de 2022.

No total, a participação da holding no final de março era de US$ 3 bilhões. Este é um dos maiores investimentos dos últimos tempos da companhia de Warren Buffett, que decidiu ir às compras pelas ações do Citi enquanto elas estavam com desempenho inferior em relação ao resto do setor financeiro nos últimos 12 meses.

A compra foi divulgada pela Berkshire Hathaway via fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, a SEC, na noite de segunda-feira (16). As ações do Citigroup passaram a sessão desta terça-feira (17) em alta. O BDR da companhia também subiu: 4,71%, para R$ 42,06.

A aquisição de ações do Citigroup ocorre após Buffett vender o restante de sua posição acionária na Wells Fargo (WFCO34), concorrente do grupo, o que já foi um marco dentro do portfólio do investidor por três décadas.

A companhia também investiu na seguradora Markel e no grupo de mídia Paramount Global, além de Ally Financial, Celanese e McKesson. Antes, Buffet já havia anunciado investimentos em Chevron (CHVX34), Occidental Petroleum (OXYP34) e HP (HPQB34) no primeiro trimestre. O megainvestidor ainda comprou quase 4 milhões de ações na Apple (AAPL34).

Além de todos os novos investimentos, a Berkshire vendeu quase US$ 10 bilhões em ações, reduzindo suas participações na Kroger e na Verizon Communications (VERZ34), e eliminando aportes nas farmacêuticas Abbvie e Bristol Myers Squibb.

Warren Buffett não desiste do Nubank (NUBR33) mesmo após queda das ações

A posição da Berkshire Hathaway (BERK34) – empresa do Warren Buffett – no Nubank (NUBR33) se manteve em 107.118.784 de ações ao fim de março, mesmo valor do final de dezembro, após a abertura de capital da fintech. É isso que mostra o relatório 13F apresentado pela empresa nesta segunda (16), com a descrição da carteira de investimentos do primeiro trimestre.

Embora a quantidade de ações do Nubank seja a mesma, equivalente a 2,3% de participação no banco digital, o valor dessa posição já não é mais o mesmo: a desvalorização dos papéis desde o IPO fez o valor cair de US$ 1,005 bilhão para US$ 826,9 milhões.

Considerando a data de referência de 31 de março do relatório da Berkshire Hathaway, as ações da Nu Holdings, listadas em Nova York, caíram 25,27% no período, saindo de um preço de US$ 11,45 – após a alta de 14% durante o IPO – para US$ 7,72.

Nesta terça (17), após a entrega dos resultados do 1T22, os papéis apresentam alta em Wall Street. Por volta das 10h55 (horário de Brasília), a subida era de 6,78%, para US$ 4,65.

No primeiro trimestre de 2022, o banco roxinho viu um crescimento de 63% na receita média mensal por cliente ativo, considerando a comparação anual, para US$ 6,7. No total, a receita somou US$ 877,2 milhões no período, um salto de 226% em um ano.

O Nubank atingiu 59,6 milhões de cliente ao fim de março. O mercado, entretanto, estava pessimista em relação aos números da fintech e colocou as expectativas ruins nas ações da Nu Holdings, que caíram 9% no dia da divulgação do balanço.

A aposta de Warren Buffett no roxinho, porém, é de longa data. Em junho de 2021, quatro meses antes do IPO do Nubank, o bilionário fez um aporte de US$ 500 milhões no banco digital. Segundo a Bloomberg, antes da oferta inicial de ações, a Berkshire Hathaway chegou a aumentar sua participação na fintech brasileira para 10% das ações colocadas à venda da oferta inicial.

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO