Proventos

BB-BI fica com pé atrás com brMalls (BRML3), corta preço-alvo e rebaixa recomendação

BB-BI fica com pé atrás com brMalls (BRML3), corta preço-alvo e rebaixa recomendação
Fusão entre brMalls (BRML3) e Aliansce Sonae (ALSO3) é aprovada. Créditos: brMalls/Divulgação

O BB-BI revisou o valuation do brMalls (BRML3) e decidiu cortar o valor do preço alvo, indo de R$ 12,20 para R$ 9,50 até o final de 2022.

Além disso, os analistas rebaixaram a recomendação da ação do brMalls para neutra.

Em relatório divulgado nesta segunda-feira (4), o BB-BI afirma que a revisão vem a partir da incorporação dos resultados referentes ao quatro trimestre de 2021 (4T21) e o primeiro trimestre de 2022 (1T22), e também com a atualização das premissas macroeconômicas.

“Apesar de esperarmos que a companhia apresente melhores resultados ao longo do segundo semestre de 2022, com a retomada integral do fluxo de pessoas para os shoppings, ainda há diversos pontos de dúvida quanto à configuração da companhia após a conclusão da combinação de negócios com a Aliansce Sonae, em especial em relação às potenciais sinergias e eventuais remédios a serem aplicados pelo Cade para aprovação da transação”, afirma o relatório.

Dentro desse contexto, o BB-BI também considera que a maior exposição do brMalls a classes sociais mais afetadas pela inflação pode afetar a expectativa de recuperação de vendas e rentabilidade ao longo do semestre, e por isso “optamos por adotar maior cautela neste momento”, conforme os analistas.

A análise do banco de investimentos também destaca que os ativos do brMalls acumulam uma queda de 7% desde o início do ano, superior à queda do Ibovespa no mesmo período.

“Ao nosso ver, esse desempenho reflete a piora de percepção de risco por parte dos investidores, que têm optado por papéis com forte geração de caixa, pagadores de dividendos e expostos a classes sociais mais altas (mais resilientes à inflação)”, diz o texto.

O posicionamento do BB-BI é continuar monitorando as incertezas sobre o brMalls, atualmente atreladas ao cenário macroeconômico doméstico, “com a taxa Selic arrefecendo a atividade, por um lado, e os estímulos econômicos impulsionando, por outro”.

Combinação de negócios com a Aliansce Sonae

Em junho, a brMalls divulgou ao mercado que os acionistas da companhia aprovaram a combinação de negócios com a Aliansce Sonae (ALSO3), que resultou em uma companhia de 69 shoppings com cerca de 13 mil lojistas em todas as regiões do Brasil.

O BB-BI tem algumas ressalvas a respeito da combinação. A princípio, os analistas enxergam as sinergias positivas provenientes da transação, estimadas em R$ 200 milhões, pelos seguintes motivos:

  • Melhor precificação por metro quadrado da nova companhia;
  • Aceleração da receita de mídia nos shopping da Aliansce em função da utilização da Hello (companhia adquirida pela brMalls); e
  • Outras sinergias provenientes de negociações com fornecedores e custos.

“Acreditamos que esse cálculo pode mudar a depender do desenho da aprovação da transação pelo Cade, em especial quanto à necessidade de eventuais vendas de ativos que possam impactar no tamanho da nova companhia”, afirmam.

Além disso, os analistas acreditam que os custos envolvidos na transação ofuscam as sinergias que podem ser capturadas no curto prazo pela transação. Por exemplo, a aceleração de benefícios outorgados em planos de remuneração baseados em ações, o que significa aproximadamente R$ 88,5 milhões em custos.

Pontos estratégicos para a brMalls

No final do 1T22 da brMalls, a empresa detinha 21 shoppings distribuídos nas cinco regiões do país e com diversificação para atender a consumidores de diferentes classes sociais. De acordo com os analistas, a agenda estratégica da companhia aponta:

  • O fortalecimento de seu portfólio, com parcerias com incorporadoras para lançar empreendimento ao redor dos shoppings;
  • O aumento da interação com o consumidor por meio do Programa de Relacionamento;
  • A exploração dos canais de mídia com uma das principais avenidas de crescimento; e
  • A exploração do mercado gamer em seus shopping centers.

Houve avanço, na opinião do banco de investimento, em alguns pontos elencados. Um deles foi em relação ao fortalecimento do portfólio, com o anúncio em março de 2022 sobre a parceria com a incorporadora Vitacon para o desenvolvimento de 20 prédios residenciais e centros médicos em sete shoppings detidos pela brMalls. O movimento contribui para o aumento de fluxo de pessoas nos empreendimentos da companhia.

O programa de relacionamento já está em operação em oito shoppings, totalizando mais de 360 mil membros ativos. No que se refere à exploração da mídia como fonte de receita, a participação desse aspecto na receita bruta total cresceu 0,9 p.p. ao ano no 1T22, sinalizando o aumento de sua relevância no negócio da companhia.

O último ponto, a respeito do mercado gamer, a estratégia visa atrair novas gerações de consumidores, tendo inaugurado a primeira “arena gamer” no Shopping Metro Santa Cruz, em São Paulo.

Principais riscos do brMalls, na visão do BB-BI

O banco de investimentos também considerou, por fim, os principais riscos de investir no brMalls, que são:

  • Recuperação da economia doméstica mais lenta que a esperada;
  • Dificuldade em manter o mix de lojas, levando à queda da taxa de ocupação;
  • Novas ondas de aumento de casos de Covid-19 que desencadeiem medidas de isolamento social e fechamento do comércio físico em Estados e municípios;
  • O aumento menor do que o esperado na taxa de ocupação e do aluguel/m²;
  • Vendas abaixo do esperado; e
  • Atrasos nos pagamentos e inadimplência.

Cotação

Nesta segunda, a ação do brMalls encerrou em alta de 0,78%, a R$ 7,75.

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO