BrMalls (BRML3) negocia aquisição ou fusão com administradora do Shopping Eldorado (SP)

BrMalls (BRML3) negocia aquisição ou fusão com administradora do Shopping Eldorado (SP)
Shopping Eldorado. Foto: Reprodução/site

O presidente da BrMalls (BRML3), Ruy Kameyama, afirmou nesta sexta-feira (18) que a companhia está com negociações em andamento para uma possível fusão ou aquisição (M&A, na sigla em inglês) envolvendo a administradora Ancar Ivanhoe, responsável por 25 shoppings centers, como Shopping Eldorado, Conjunto Nacional e Metrô Itaquera.

A declaração de Kameyama foi feita ao explicar a analistas e investidores que a BrMalls tem alternativas em estudo que não se limitam à proposta rejeitada de fusão com a Aliansce Sonae (ALSO3).

“Vamos olhar outras alternativas, com calma. Estamos em tratativas com a Ancar Ivanhoe e existem outras opções”, afirmou o presidente da BrMalls.

O executivo ponderou que os administradores da administradora de shoppings “não estão desesperados para fazer um deal (negócio)”, ainda mais se isso implicar em aceitar uma avaliação da empresa tomando como parâmetro o preço atual da ação, que está cotada perto do piso histórico devido as dificuldades enfrentadas na pandemia.

Kameyama disse ainda que considera a atividade de M&A uma ótima alternativa, lembrando que a própria BrMalls foi formada com a compra de shoppings. Nos anos seguintes, houve um movimento de “esculpir o portfólio”, isto é, se desfazer dos empreendimentos menos interessantes para olhar melhores opções.

Outro ponto defendido pelo executivo é de que o fim de 2021 marcou uma virada para a companhia, com a recuperação de resultados financeiros e operacionais para patamares iguais ou maiores aos verificados antes da pandemia. Ruy Kameyama disse esperar um crescimento dos números nos próximos três anos.

BrMalls recusa nova proposta da Aliansce Sonae

A novela da combinação de negócios entre a BrMalls e Aliansce Sonae ganhou um novo capítulo nesta quinta (17). O conselho de administração da companhia decidiu, por unanimidade, rejeitar a segunda oferta de fusão feita pela concorrente.

A empresa avalia que o novo preço proposto ainda não corresponde ao que considera aceitável, segundo fato relevante.

“A nova proposta não-solicitada continua subavaliando, consideravelmente, o valor econômico justo da companhia e do seu portfólio de ativos, vez que apresentou um incremento de preço insuficiente. Portanto, ainda não atende aos melhores interesses dos acionistas da BrMalls“, diz o documento enviado à CVM.

Nesse contexto, a empresa complementa que a oferta da Aliansce não constitui base de preço para iniciar negociação de uma possível combinação de negócios. O texto ainda destaca que a BrMalls tomou conhecimento da nova proposta por meio da mídia, no dia 13 de março, e não de uma comunicação oficial.

Com informações de Estadão Conteúdo. 

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO