Bolsas da Europa e asiáticas têm dia misto, com ata do Fed e sólido balanço da Nvidia (NVDC34)

As bolsas na Europa operam sem direção única na manhã desta quinta-feira (23), com ações de fabricantes de chips locais impulsionadas por sólido balanço da concorrente americana Nvidia (NVDC34).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Além disso, os investidores ainda estão digerindo uma nova rodada de dados de atividade (PMIs) da região, assim como o tom “hawkish” da última ata de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Por volta das 6h45 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 avançava 0,30%, a 522,77 pontos.

Fabricantes de semicondutores europeus como a alemã Infineon e as holandesas ASM e ASML tinham ganhos de cerca de 1,3% a 3,6%, no horário acima, após a Nvidia (NVDC34) – uma das “7 magníficas” do setor de tecnologia dos EUA – divulgar resultados trimestrais melhores do que o esperado no fim da tarde de ontem.

Por volta das 10h40, as ações da Nvidia subiam 9,24%, negociadas a US$ 1.037, na Nasdaq (EUA).

Já as bolsas americanas também abriram mistas hoje, aguardando a divulgação do PMI, indicador de atividade norte-americana.

  • Dow Jones: -0,13%
  • Nasdaq: +0,99%
  • S&P500: +0,42%
  • S&P500 VIX: -3,01%

Federal Reserve limita apetite por risco

O apetite por risco na Europa, no entanto, é limitado pela ata de política monetária do Fed, publicada ontem. O tom do documento foi bastante cauteloso, esfriando as expectativas para eventuais cortes de juros nos EUA este ano. Segundo a ata, vários dirigentes do BC americano estão dispostos a até mesmo elevar juros de novo se a inflação voltar a ganhar força.

No âmbito macroeconômico, os últimos PMIs europeus trouxeram um quadro misto. Na zona do euro, o PMI composto subiu para 52,3 em maio, graças à indústria, uma vez que o setor de serviços permaneceu estável. Apenas na Alemanha, tanto indústria quanto serviços surpreenderam positivamente. No Reino Unido, por outro lado, o PMI composto recuou neste mês, com pressão de serviços. Nas próximas horas, são aguardados PMIs dos EUA.

Às 7h (de Brasília), a Bolsa de Londres se mantinha estável, enquanto a de Paris subia 0,12% e a de Frankfurt avançava 0,19%. Já a de Milão tinha ganho de 0,09%, enquanto as de Madri e Lisboa caíam 0,17% e 0,40%, respectivamente.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Investindo-no-exterior.png

Bolsas de valores na Ásia

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, com algumas pressionadas pelo tom “hawkish” da última ata de política monetária do Fed e outras animadas por sólidos resultados trimestrais da Nvidia.

Na China continental, o índice Xangai Composto teve queda de 1,33%, a 3.116,39 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 1,72%, a 1.754,06 pontos, sob o peso do fraco desempenho de ações do setor imobiliário e de energia.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 1,70% em Hong Kong, a 18.868,71 pontos, e o Kospi teve baixa marginal de 0,06% em Seul, a 2.721,71 pontos, após o banco central sul-coreano (BoK) deixar seu juro inalterado em 3,5% pela 11ª vez consecutiva.

Ontem, o Fed demonstrou cautela na ata de sua última reunião de política monetária, esfriando as expectativas para eventuais cortes de juros nos EUA este ano. Segundo o documento, vários dirigentes do BC americano estão dispostos a até mesmo a elevar juros de novo caso a inflação volte a ganhar força.

Por outro lado, a Nvidia agradou com balanço trimestral divulgado no fim da tarde de ontem, ajudando a impulsionar ações de semicondutores no Japão e em Taiwan. O índice japonês Nikkei avançou 1,26% em Tóquio hoje, a 39.103,22 pontos, e o taiwanês Taiex subiu 0,26%, a 21.607,43 pontos.

Já na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho, puxada para baixo por ações de mineradoras e de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 caiu 0,46% em Sydney, a 7.811,80 pontos.

Com informações de Estadão Conteúdo.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Camila Paim

Compartilhe sua opinião