Bolsas asiáticas sobem, enquanto europeias operam voláteis; Ibovespa seguirá mercado internacional?

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira (17), acompanhando o bom desempenho de Wall Street na segunda (16), em meio a um alívio em preocupações com a crise no Oriente Médio.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Esse cenário pode ter alguma repercussão nas negociações do Ibovespa hoje, que fechou a sessão de segunda-feira (17) em alta de 0,67%, aos 116.533,85 pontos.

Ainda entre as bolsas asiáticas, o índice japonês Nikkei subiu 1,20% em Tóquio, a 32.040,29 pontos, enquanto o índice Hang Seng avançou 0,75% em Hong Kong, a 17.773,34 pontos e o índice sul-coreano Kospi registrou alta de 0,98% em Seul, a 2.460,17 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto hoje teve leve acréscimo de 0,32%, a 3.083,50 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto ficou praticamente estável, em 1.884,20 pontos.

Na contramão, o índice Taiex encerrou o pregão de hoje em baixa marginal de 0,06% em Taiwan, a 16.642,55 pontos.

Ontem, as bolsas de Nova York avançaram em torno de 1%, à medida que uma esperada invasão por terra de forças israelenses em Gaza não se concretizou. Amanhã (18), o presidente dos EUA, Joe Biden, visitará Israel e Jordânia, numa tentativa de evitar uma escalada do conflito na região.

Na Oceania, a bolsa de Sydney hoje ficou no azul, mas reduziu ganhos após o banco central da Austrália (RBA) alertar, em ata de política monetária, que está disposto a elevar juros de novo se houver qualquer sinal de que a inflação não está desacelerando em ritmo suficientemente rápido. O S&P/ASX 200 subiu 0,42%, a 7.056,10 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-1420x240-4.png

Bolsas da Europa operam voláteis; veja índices

As bolsas europeias ganharam força após a divulgação de um dado positivo da Alemanha, a maior economia da região, mas logo voltaram a ficar voláteis na manhã desta terça-feira (17), em meio à cautela inspirada pela crise no Oriente Médio.

Confira os índices perto das 7h50 desta terça:

  • Londres (FTSE100): 0,43%
  • Frankfurt (DAX): -0,34%
  • Paris (CAC 40): -0,12%
  • Madrid (Ibex 35): -0,08%
  • Europa (Stoxx 600): -0,15%

O índice alemão ZEW expectativas econômicas subiu bem mais do que o esperado em outubro, a -1,1 ponto, ajudando a impulsionar temporariamente as ações europeias, assim como o euro no mercado de câmbio.

O dado positivo da Alemanha veio num momento de incertezas sobre a guerra entre Israel e Hamas. Nesta quarta (18), o presidente dos EUA, Joe Biden, visitará Israel e Jordânia, numa tentativa de evitar uma escalada do conflito na região.

Investidores na Europa também acompanham balanços corporativos locais e dos EUA. O da empresa sueca de equipamentos de telecomunicações Ericsson desagradou, e sua ação tombava mais de 8% em Estocolmo. Ao longo da manhã, estão previstos resultados dos gigantes bancários americanos Bank of America (BOAC34) e Goldman Sachs (GSGI34).

Voltando para a China, no fim da noite desta terça-feira (17), o país divulga seu Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, assim como dados mensais de varejo e indústria, o que deve influenciar as bolsas asiáticas. Em 2023, a meta de crescimento da segunda maior economia do mundo é de cerca de 5%.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião