Semana do ESG

BCE vê alta de juros maior em setembro como “mais apropriada”, diz Lagarde

Veja como foi a última 'super quarta', que contou com decisão de juros do BC e do Fed

O Banco Central Europeu, o BCE, deve elevar os juros no próximo mês e em setembro, segundo fala recente da presidente da instituição, Christine Lagarde.

A presidente do BCE, contudo, disse nesta terça-feira (28) que o compromisso dependerá do comportamento dos dados econômicos.

Em discurso no Fórum do BCE, na cidade portuguesa de Sintra, Lagarde confirmou que o BCE pretende elevar suas três principais taxas de juros em 25 ponto-base na reunião de política monetária de 21 de julho, num momento em que a inflação da zona do euro atinge níveis recordes em meio à guerra na Ucrânia.

Lagarde afirmou também que um aumento de juros maior será apropriado na reunião de setembro “se a perspectiva de inflação no médio prazo persistir ou se deteriorar”.

Para depois de setembro, Lagarde previu uma trajetória “gradual, mas sustentada” de mais aumentos de juros.

Lagarde confirmou ainda que o BCE decidiu acelerar o desenvolvimento de um instrumento para lidar com a chamada “fragmentação” na zona do euro, referindo-se às divergências nos custos de empréstimos de países que integram o bloco.

“O novo instrumento terá de ser eficaz, proporcional e conter salvaguardas suficientes para preservar (…) uma política fiscal sólida”, disse.

Vale lembrar que, recentemente, a autoridade monetária da Europa anunciou novos horários para anúncios de política monetária e coletivas de imprensa sobre o assunto.

A partir da reunião de política monetária de 21 de julho, o BCE revelará suas decisões de juros às 9h15, pelo horário de Brasília, segundo comunicado.

Já a coletiva terá início meia hora depois, a partir das 9h45. Em sua última reunião, em 9 de junho, o BCE anunciou sua decisão às 8h45 e iniciou a coletiva às 9h30.

Na ocasião, o BCE revelou planos de começar a elevar seu juros básicos, a partir do encontro de julho.

Dirigente do BCE opina sobre alta de juros em julho

Na mesma ocasião, do Fórum do BCE, na cidade portuguesa de Sintra, o dirigente do BCE e presidente do BC da Letônia, Martins Kazaks disse que pode ser válido considerar um aumento de juros de 50 pontos-base (pb) em julho.

Em entrevista à TV Bloomberg, Kazaks ponderou que pode ser razoável antecipar as altas de juros se o quadro da inflação, que está em níveis recordes na zona do euro, se agravar.

O dirigente do BCE afirmou, no entanto, que seu cenário base continua sendo de que o banco elevará juros em 25 pontos-base no mês que vem e em mais 50 pontos-base em setembro.

Com informações do Estadão Conteúdo

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO