BC volta a indicar outro ajuste de 0,75 ponto porcentual da Selic em agosto

BC volta a indicar outro ajuste de 0,75 ponto porcentual da Selic em agosto
Apesar de o BC falar em controle da inflação, regulamentação do depósito não deve impactar a dívida - Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

O Banco Central (BC) voltou a indicar nesta quinta-feira (24), por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), que deve promover novo aumento de 0,75 ponto porcentual da taxa básica de juros (Selic) em agosto. Atualmente, a Selic está em 4,25% ao ano.

“Para a próxima reunião, o Comitê antevê a continuação do processo de normalização monetária com outro ajuste da mesma magnitude (0,75 ponto)”, registrou o RTI. “Contudo, uma deterioração das expectativas de inflação para o horizonte relevante pode exigir uma redução mais tempestiva dos estímulos monetários. O Comitê ressalta que essa avaliação também dependerá da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e de como esses fatores afetam as projeções de inflação”.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Estas avaliações já constaram no comunicado da semana passada – quando o Copom elevou a Selic em 0,75 ponto porcentual, para 4,25% ao ano – e também na ata da reunião, publicada na última terça-feira (22). A visão do Copom para o encontro do mês de agosto, no entanto, marca uma mudança em relação ao que vinha sendo comunicado até então.

BC tem a intenção de eleva a Selic até a taxa neutra

No encontro de maio, o Copom ainda antevia a continuação do processo de “normalização parcial” do estímulo monetário. No comunicado da semana passada, na ata e no RTI de hoje, o colegiado retirou o termo “parcial” e indicou claramente a intenção de elevar a Selic até a taxa neutra – o juro que, em tese, permite crescimento sem gerar inflação.

“Neste momento, o cenário básico do Copom indica ser apropriada a normalização da taxa de juros para patamar considerado neutro”, repetiu o RTI. “Esse ajuste é necessário para mitigar a disseminação dos atuais choques temporários sobre a inflação. O Comitê enfatiza, novamente, que não há compromisso com essa posição e que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar o cumprimento da meta de inflação.”

O Banco Central informou que as estimativas da Selic apresentadas no RTI tiveram data de corte no dia 11 de junho deste ano.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se