Banco do Brasil (BBSA3) pagará R$ 333,7 milhões em JCP

Banco do Brasil (BBSA3) pagará R$ 333,7 milhões em JCP
O Banco do Brasil (BBAS3), pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro, deverá reavaliar as medidas de redimensionamento.

O Banco do Brasil (BBSA3) comunicou ao mercado que aprovou o valor de R$ 333,7 milhões a título de remuneração aos acionistas sob a forma de Juros sobre o Capital Próprio (JCP), relativos ao quarto trimestre de 2020.

Segundo o fato relevante do Banco do Brasil, esse montante total é equivalente a R$ 0,11698470002 por ação. Esse valor será imputado ao dividendo mínimo obrigatório referente ao segundo trimestre.

Os JCP serão pagos no dia 30 de dezembro deste ano e terão como base a posição acionária de 11 deste mês, sendo as transferências de ações a partir de 14 de dezembro efetuadas “ex” JCP.

Ainda de acordo com o documento, o crédito será por conta corrente, poupança-ouro ou por caixa. Haverá também retenção de imposto de renda na fonte sobre o valor nominal. Os acionistas dispensados da referenda tributação deverão comprovar esta condição até dia 16 deste mês em uma das agências da instituição financeira.

Banco do Brasil anunciou JCP em novembro

No início de novembro, ao divulgar o balanço do terceiro trimestre, o Banco do Brasil informou a distribuição de quase R$ 555,73 milhões em Juros sobre Capital Próprio. Para cada ação foi anunciado pagamento de cerca de R$ 0,19477 centavos, valor imputado no dividendo mínimo obrigatório do segundo semestre.

O pagamento foi marcado para o último dia 27 de novembro, tendo como base a posição acionária de 16 de novembro. As ações passaram a ser negociadas ex-JCP em 17 de novembro de 2020. No final de setembro, o banco já havia pago R$294 milhões em JCP.

No terceiro trimestre, o banco teve um lucro líquido ajustado de R$ 3,5 bilhões. O resultado equivale a uma queda de 23,3% sobre o registrado no mesmo período do ano passado, mas um avanço de 5,2% em comparação ao segundo trimestre deste ano.

No comparativo do acumulado de nove meses, o Banco do Brasil apresentou um lucro líquido de R$ 10,2 bilhões, um recuo de 22,9% sobre o registrado durante os nove primeiros meses de 2019.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião