Banco do Brasil (BBAS3) anuncia pagamento de R$ 1,9 bi em dividendos e JCP

Banco do Brasil (BBAS3) anuncia pagamento de R$ 1,9 bi em dividendos e JCP
Edifício sede do Banco do Brasil (BBAS3), em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Banco do Brasil (BBSA3) anunciou nesta quarta (11) que fará a o pagamento no total de R$ 1,92 bilhão em proventos a seus acionistas.

O pagamento dos proventos será dividido em R$ 443.296.279,71, a título de dividendos, e R$ 1.477.370.475,92 sob a forma de Juros sobre Capital Próprio (JCP), ambos relativos ao primeiro trimestre de 2022. Veja os valores por ação:

Os proventos serão pagos no próximo dia 31 de maio, com base na posição acionária ao final do pregão de 23 de maio. A partir de 24 de maio as ações não terão direito aos proventos.

“No caso do JCP, haverá retenção de imposto de renda na fonte sobre o valor nominal. Os acionistas dispensados da tributação deverão comprovar a condição até 25/05/2022″, diz o fato relevante do Banco do Brasil.

“Adicionalmente, informamos que R$ 601.008.000,00 foram pagos, em 31/03/2022, como remuneração aos acionistas sob a forma de JCP, conforme Fato Relevante, de 25/02/2022.”

Banco do Brasil (BBAS3) registra lucro líquido de R$ 6,6 bilhões no 1T22, alta de 34,6%

Banco do Brasil (BBAS3) divulgou nesta quarta-feira (11) que no primeiro trimestre de 2022 (1T22) alcançou lucro líquido ajustado de R$ 6,613 bilhões, um salto de 34,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, a alta foi de 11,5%.

O Banco do Brasil elencou os seguintes motivos pelo crescimento do lucro líquido ajustado recorde no trimestre:

  • Alta de 5,6% da margem financeira bruta;
  • Aumento de 9,4% das receitas de prestação de serviços;
  • Avanço de 20,1% no resultado de Participações em Controladas, Coligadas e JV;
  • incremento de 6% nas despesas administrativas.

Entre os quatro maiores bancos brasileiros listados, o Banco do Brasil teve o maior aumento anual no lucro.

margem financeira bruta do Banco do Brasil colheu R$ 15,332 bilhões, índice que mede o resultado com operações que rendem juros. É uma alta de 5,6% em um ano puxada também pelo crédito. As receitas financeiras do banco com operações de crédito tiveram uma forte alta de 38,6%, para R$ 23,9 bilhões no primeiro trimestre.

Marco Antônio Lopes

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO