Banco do Brasil (BBAS3) anuncia pagamento bilionário de JCP

O Banco do Brasil (BBAS3) anunciou um novo pagamento de juros sobre capital próprio (JCP), no valor de mais de R$ 1,165 bilhão. Conforme comunicado nesta sexta-feira (24), os proventos foram aprovados no dia 17 de maio de 2024.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Os JCP do Banco do Brasil são relativos ao segundo trimestre de 2024, e serão pagos a título de remuneração antecipada aos investidores, no valor de R$ 0,2042404444 por ação.

A distribuição será realizada em 28 de junho de 2024. O valor se destina somente aos investidores que tiverem ações da companhia até o fechamento da data de corte, que será em 13 de junho de 2024. Assim, a partir do pregão seguinte (14), as ações serão negociadas como “ex” JCP, ou seja, sem direito a receber os proventos.

Sobre os juros sobre capital próprio do Banco do Brasil, haverá retenção de imposto de renda na fonte, conforme legislação vigente e aplicável a esse tipo de rendimento.

No caso dos investidores que estiverem dispensados dessa tributação, eles precisam comprovar tal condição até o dia 13 de junho indo até uma das agências do banco.

JCP do Banco do Brasil

  • Valor: R$ 1.165.792.500,00
  • Valor por ação: R$ 0,20424044440
  • Data de corte: 13 de junho de 2024
  • Data de pagamento: 28 de junho de 2024

Como vai funcionar o pagamento do Banco do Brasil?

O pagamento dos proventos do Banco do Brasil será realizado por meio de conta corrente, poupança-ouro ou caixa. Os investidores que estão com seus cadastros desatualizados vão ter suas remunerações retidas até que a devida regularização seja efetivamente concretizada em uma das agências da instituição financeira.

Nesse sentido, a regularização do cadastro pode ser feita por meio da apresentação de um documento de identidade, CPF e comprovante de residência, caso seja um investidor pessoa física. No caso de ser pessoa jurídica, deve-se mostrar o estatuto ou contrato social, assim como a prova de representação.

No caso dos investidores com ações do Banco do Brasil custodiadas na Central Depositária da B3, os pagamentos serão feitos primeiramente para esta entidade que, por sua vez, vai repassar os valores para os investidores através dos agentes de custódia.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno