Patrocinado por:

Azul (AZUL4): tráfego cai 15% em março na comparação com fevereiro

Azul (AZUL4): tráfego cai 15% em março na comparação com fevereiro
Azul (AZUL4) - Avião A320 Neo. Foto: Divulgação Luis Neves

A Azul (AZUL4) viu seu tráfego de passageiros no cenário doméstico, e também no internacional, cair com o avanço da covid-19 no país. Em março, o tráfego de passageiros (RPK) em viagens locais ficou em 1,453 milhão, ante 1,67 milhão em fevereiro, variação de cerca de 15%.

Na base anual, porém, a demanda aumentou, com a Azul registrando procura 11,2% maior do que o 1,3 milhão registrado no terceiro mês de 2020, sinalizando que os impactos da pandemia da covid-19, mesmo com a situação do Brasil estando pior do que nunca, diminuíram.

No lado da oferta, a comparação com fevereiro também mostra queda, contudo menor: saindo de 2,1 milhões em fevereiro para 2,028, de apenas 3%. Na base anual, houve avanço de 15,4%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“Em março, ajustamos proativamente nossa capacidade em resposta à segunda onda da pandemia no Brasil. Embora a demanda tenha sido impactada pelas medidas de quarentena implementadas em todo o país, a força e a conectividade de nossa malha, em conjunto com a flexibilidade da nossa frota, resultaram em um crescimento de 11% da demanda doméstica em comparação a março de 2020” afirmou a Azul em comentário.

A diferença entre o recuo da demanda e o da oferta, todavia, resultaram em uma taxas de ocupação menor. Em março, esse número foi de 57,3%, em fevereiro, era de 65,7%. Na comparação com a ocupação de 2020, a discrepância é ainda maior: no ano passado, a Azul mantinha cerca de70% dos lugares em seus voos ocupados.

Nas viagens internacionais, que estão praticamente zeradas, houve avanço. Em março, foram 35 mil assentos oferecidos, ante 22 mil em fevereiro. A demanda também cresceu, saindo de 33 mil para 61 mil.

Os números internacionais da Azul, entretanto, ainda são muito menores do que aquilo registrado antes da pandemia: em fevereiro de 2020 foram 633 mil assentos ofertados, com uma demanda de 793 mil.

Guide comenta resultados da Azul

Em nota, a Guide Investimentos afirmou que “o crescimento na oferta e demanda por assentos no mês de março na comparação com o mesmo mês do ano passado deve ser visto como uma boa notícia”.

Para os analistas, apesar do agravamento da pandemia nesse período no Brasil, a Azul segue com modelo de negócio muito resiliente, com a Gol (GOLL4), sua principal concorrente, apresentando quedas maiores de oferta e demanda no mesmo período.

Vitor Azevedo

Compartilhe sua opinião