Auxílio emergencial: PEC Emergencial deve ser votada na terça-feira no Senado

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que pode trazer de volta o pagamento do auxílio emergencial, deve ser votada pelo Senado na terça-feira (2), de acordo confirmou o senador Marcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC, nesta quinta-feira (25), em entrevista à CNN Brasil.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Vale destacar que a votação da PEC que poderá avançar com a prorrogação do auxílio emergencial estava prevista para acontecer hoje. Contudo, o relator explicou na entrevista que a discussão sobre a PEC deve ser iniciada hoje no plenário da Casa.

“A última informação que tenho do presidente (do Senado) é que vota-se (a PEC) na terça-feira”, afirmou Bittar.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Como o texto foi apresentado formalmente na terça-feira, os senadores, apontaram que era necessário mais tempo para analisá-lo. Além disso, a resistência a pontos como a desvinculação de receitas, já apontava para um adiamento.

Caso o auxílio volte a ser pago, as parcelas e seus respectivos valores devem ser definidas pelo Executivo.

Pacheco deve fatiar PEC Emergencial e destravar auxílio emergencial

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), admitiu ontem (24) a possibilidade de fatiar a Proposta de Emenda à Constituição Emergencial e aprovar apenas a medida para destravar o auxílio emergencial, deixando os dispositivos de contenção de gastos para depois.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

A articulação sobre o auxílio emergencial cresceu nos bastidores do Senado, conforme o Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) antecipou. “Não avaliamos isso ainda, mas eventualmente pode ser uma possibilidade”, afirmou Pacheco em entrevista à imprensa antes da sessão do plenário.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou que pode deixar de votar a proposta se os senadores aprovarem só o auxílio emergencial. A avaliação é que o restante da medida, com as medidas de ajuste, vai “morrer” no Senado.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião