Assaí (ASAI3): lucro líquido cai 10,8%, para R$ 214 mi, no 1T22; receita tem alta de 21,1%

Assaí (ASAI3): lucro líquido cai 10,8%, para R$ 214 mi, no 1T22; receita tem alta de 21,1%
Unidade do Assaí no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação.

O lucro líquido do Assaí (ASAI3) totalizou R$ 214 milhões no primeiro trimestre de 2022, com margem líquida de 1,9%. O resultado representa queda de 10,8% em relação ao registrado no mesmo período de 2021.

Já o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 752 milhões, uma alta de 17,3% ante o apresentado um ano antes.

A margem Ebitda foi de 6,6% no trimestre, queda de 0,2 ponto porcentual (p.p.). A margem bruta ficou estável em 16% e a margem líquida caiu 0,6 p.p.

A companhia afirma que o patamar de margem foi alcançado “mesmo diante da expansão recorde, com a abertura de 32 novas lojas nos últimos 12 meses, e custos pré-operacionais das conversões” de lojas.

A receita líquida avançou 21,1% e atingiu R$ 11,4 bilhões. A companhia credita o ganho à “alta performance das 32 lojas abertas nos últimos 12 meses, com alta de 15,4%, e vendas em “mesmas lojas” com crescimento de 6,7%.

A empresa diz que as vendas em mesmas lojas aceleraram ao longo do trimestre e tiveram crescimento de duplo-dígito no acumulado de fevereiro e março, “apesar da forte base de comparação (alta de 11,2% no trimestre correspondente de 2021) e da persistência do movimento de tradedown (troca por produtos mais baratos) dos consumidores.

XP: com números mistos no varejo alimentar do 1T22, só ‘compra’ Assaí (ASAI3)

Em 20 de abril a XP Investimentos publicou um relatório sobre as empresas de varejo alimentar. Com o fim da divulgação das prévias operacionais do varejo alimentar no primeiro trimestre de 2022 (1T22), a XP indicou na época que os números vieram sem sinal único e sem estimativa de rentabilidade. Apesar da cautela, o único player do setor que recebeu recomendação de compra foi o Assaí (ASAI3).

A visão positiva com as ações da Assaí, contudo, não impediram os analistas da XP de destacar que as vendas mesmas lojas ficaram levemente abaixo do concorrente Atacadão (operação de atacarejo do Carrefour), em +6,7% no comparativo anual.

“Acreditamos que isso possa ser explicado pela adição de lojas Makro na base de comparação, performance do atacado de distribuição ou competitividade de preço. No entanto, o crescimento de vendas foi superior, em +21%, no comparativo anual. Finalmente, nós destacamos que o ASAI3 mencionou que o SSS foi de duplo-dígito durante Fev/Mar”, diz a XP.

Com Estadão Conteúdo

Marco Antônio Lopes

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO