Alupar (ALUP11): lucro cresce 11,6% no 3T23, para R$ 160 milhões; empresa aprova dividendos milionários

A transmissora de energia Alupar (ALUP11) teve lucro líquido IFRS de R$ 100,0 milhões no terceiro trimestre deste ano, crescimento de 13,5% em base anual de comparação. Já o lucro líquido regulatório do período foi de R$ 163,4 milhões, alta de 11,6%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

De julho a setembro, a receita líquida IFRS da Alupar totalizou R$ 649,0 milhões, queda de 0,6% sobre o terceiro trimestre de 2022, enquanto a receita regulatória da Alupar foi de R$ 797,3 milhões, crescimento de 5,3% em base anual de comparação.

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (Ebitda, da sigla em inglês) pela norma IFRS alcançou R$ 636,1 milhões, montante 6,6% menor do que o registrado um ano antes. Na base regulatória, o Ebitda da Alupar foi de R$ 662,4 milhões, alta de 5,3%.

A dívida bruta consolidada da Alupar totalizou R$ 11,5 bilhões no terceiro trimestre, redução de 0,5% frente ao montante registrado em dezembro de 2022. Contudo, a dívida líquida ficou em R$ 8,82 bilhões no período, alta de 0,2%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

Proventos da Alupar

A companhia informou também que seu conselho de administração aprovou a distribuição de R$ 36,6 milhões em dividendos intercalares da Alupar aos acionistas, montante correspondente a R$ 0,04 por ação ordinária e preferencial, equivalente a R$ 1,02 por Unit.

O valor será pago aos acionistas cadastrados na base da companhia até 16 de novembro, com o ativo tornando-se ex-dividendo a partir do dia 17.

Subsidiária vence leilão e investimento pode chegar a US$ 45,9 milhões em novos projetos

A Alupar (ALUP11) informou que sua controlada, a Alupar Inversiones Chile, foi a vencedora do grupo 02 do leilão feito no Chile para a realização de obras em 3 novas subestações, com 15,7 km de linhas de transmissão.

Conforme comunicado pela Alupar, as 3 subestações incluídas são: Seccionadora El Pimiento (220kV), Monte Blanco (110kV) e El Lazo (110kV). As linhas de transmissão do projeto consideram essas mesmas subestações.

“Este novo empreendimento marca o retorno da Alupar ao Chile após uma atuação bem-sucedida da companhia entre os anos de 2005 e 2016”, diz o comunicado.

A receita anual permitida (RAP) vencedora é de US$ 5,198 milhões, o que representa aproximadamente R$ 25,55 milhões na cotação atual. Enquanto isso, o capex de referência (CEN) é de US$ 45,9 milhões.

O percentual da economia estimada diante do capex de referência está entre 10% e 15%. Já a relação entre a receita anual permitida vencedora e o capex da Alupar é de 13%.

O prazo de concessão é perpétuo, enquanto o prazo de construção regulatório é de 48 meses (4 anos) após a publicação do decreto de adjudicação, que está previsto para ocorrer em dezembro de 2023.

Veja um resumo das informações do projeto da subsidiária da Alupar no Chile:

  • RAP vencedora: US$ 5.198.000,00
  • Capex de Referência (CEN): US$ 45.962.891,00
  • Projeto: 3 novas subestações e 15,7 km em linhas de transmissão.
  • % economia estimada x capex de referência: 10% a 15%
  • Relação RAP vencedora/capex Alupar: 13,0%

Cabe lembrar que a subsidiária da Alupar no Peru foi a vencedora de um projeto relacionado a eletricidade em agosto. A companhia já atuava no país no segmento de geração de energia, por meio de uma usina hidrelétrica. Porém, a partir desse projeto, passou a atuar também no segmento de transmissão de energia

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno