Acqua-Vero rescinde contrato com a XP por justa causa

Acqua-Vero rescinde contrato com a XP por justa causa
XP. Foto: Reprodução Facebook

O escritório de assessoria de investimentos Acqua-Vero informou aos seus clientes, nesta segunda-feira (24),  que decidiu  rescindir o contrato com a XP por justa causa e assim estará conectado à plataforma do BTG Pactual a partir de amanhã. As informações são da revista Veja.

Vale lembrar que na última semana a Acqua-Vero anunciou que deixaria a XP para se tornar parceira do BTG Pactual (BPAC11), e por isso o escritório estava cumprindo o período de 60 dias de aviso prévio.

Entretanto, o escritório informou aos seus clientes que, após o anuncio, algumas regras previstas no contrato não estavam sendo obedecidas, e assim tomou a decisão de rescindir imediatamente o contrato com a XP.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A assessoria do escritório detalhou à revista que não conseguia mais acessar o software de gestão dos clientes, o que estaria impedindo a prestação de serviços.

Sobre a Acqua-Vero

O escritório, atualmente o maior de São Paulo em assessoria de investimentos, visa se tornar uma corretora de valores e, no futuro, realizar uma abertura de capital na Bolsa de Valores de São Paulo (B3).

Com 16 filiais em:

  • São Paulo;
  • Rio de Janeiro;
  • Presidente Prudente;
  • Salvador;
  • Belo Horizonte;
  • Campinas;
  • São José dos Campos;
  • Fortaleza;
  • Piracicaba;

20 mil clientes atendidos e R$ 8,5 bilhões em sua carteira, a Acqua-Vero tem como objetivo chegar ao final de 2021 com R$ 12 bilhões em carteira e 350 profissionais.

A decisão da Acqua-Vero de passar ao BTG Pactual é mais um episódio em uma rivalidade entre a maior corretora e o maior banco de investimento do Brasil.

Desde 2019 o BTG está tentando conquistar escritórios de agentes autônomos e assessores de investimentos. A estratégia do BTG prevê propostas de bonificações generosas e até planos de abertura de capital, como foi no caso da Acqua-Vero.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO