Ações da GetNet (GETT3) estreiam na Bolsa com alta de 100% no intradia

A GetNet (GETT3), empresa de maquininhas do Santander (SANB11), estreia na Bolsa de Valores nesta segunda-feira (18) após concluir todas as etapas necessárias para a cisão do negócio. Os papéis ordinários da companhia chegaram a subir 100% no intradia, saindo de R$ 2,22 para R$ 4,44, por volta das 11h45.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Além disso, ações da GetNet também são negociadas por meio de preferenciais e units, que já somam alta de 117% e 38%, respectivamente. A companhia, recém separada do Santander, oferece um portfólio completo de produtos e serviços de meios de pagamento.

A companhia já chega ao mercado com 16% de participação, ou seja, uma base com 876 mil clientes ativos.

O seu volume total de pagamentos (TPV) foi de R$ 274 bilhões em 2020, ao passo que no primeiro semestre desse ano já foram R$ 183 milhões — representando um crescimento de 64% em relação ao mesmo período do ano anterior.

No páreo com a Cielo (CIEL3) e a Elo, a empresa ganha fôlego e mercado após a cisão com o Santander. O “divórcio” ocorreu em meados de julho, quando o Banco Central (BC) autorizou a operação, já prevendo a oferta dos papéis da companhia de maquininhas.

No seu parecer, o BC citou que era necessário, para a estreia da GetNet:

  • Obtenção do registro de companhia aberta (categoria A) da GetNet perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
  • Pedido de listagem na B3 (B3SA3);
  • Registro das units e das ações perante a Securities and Exchange Commission (SEC), CVM norte-americana.

Sobre o impacto nas ações do Santander, os analistas da XP citam que esperam cautela por conta do impacto.

“Não temos informações suficientes para determinar o potencial valor a ser destravado e o impacto que Getnet teria sobre os lucros do Santander, porém, no longo prazo, as ações do Santander devem cair à medida que ocorrer a cisão e o banco perder parte de seu poder de lucro e uma unidade com ROE superior ao do próprio banco”, afirma a casa.

Na análise, frisam recomendação neutra com preço-alvo de R$ 32 para o Santander.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Entenda a estreia da GetNet na Bolsa

Em fato relevante arquivado na CVM, o Santander explicou que, para cada investidor do banco, com posição acionária até a última sexta-feira (15), seriam entregues 0,25 ação ordinária, ação preferencial ou unit da companhia de maquininhas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Além disso, o Santander frisa que “os ADSs Getnet foram equivalentes a duas Units Getnet cada e creditados após o encerramento do pregão em 21 de outubro de 2021, aos titulares de American Depositary Shares representativos de Units do Santander Brasil (“ADSs Santander Brasil”) em 19 de outubro de 2021, data de corte no caso dos ADSs Getnet (“Data de Corte dos ADSs”).  Os ADSs Getnet foram creditados à razão de 0,125 ADS Getnet para cada ADS Santander Brasil.

De acordo com fato relevante do Santander, divulgado ao mercado no dia 5 de agosto, a B3 também já tinha aceitado o pedido de listagem da GetNet e a admissão de negociação das ações e das units de emissão da adquirente.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião