Volume de serviços prestados sobe 2,6% em novembro, aponta IBGE

Volume de serviços prestados sobe 2,6% em novembro, aponta IBGE
Volume de serviços prestados sobe 2,6% em novembro, aponta IBGE

O volume de serviços prestados subiu 2,6% em novembro ante outubro de 2020, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, informado nesta quarta-feira (13), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o resultado do indicador foi revisado de uma alta de 1,7% para 1,8%.

Na comparação com novembro de 2019, houve queda de 4,8% de volume de serviços em novembro de 2020, já descontado o efeito da inflação. A taxa acumulada no ano de 2020 foi de redução de 8,3%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Em 12 meses, os serviços acumulam queda de 7,4%. A receita bruta nominal do setor de serviços subiu 2,7% em novembro ante outubro. Na comparação com novembro de 2019, houve recuo de 4,1% na receita nominal.

A alta de 2,6% no volume de serviços prestados no País em novembro ante outubro foi a sexta taxa positiva consecutiva, fazendo o segmento acumular um ganho de 19,2% no período.

Ebook Gratuito
Baixe agora nosso
Guia de Investimentos para 2021
Confira gratuitamente quais são nossas perspectivas para o ano.

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

Apesar da melhora, os serviços ainda operam 3,2% abaixo do patamar de fevereiro, precisando crescer 3,3% para voltar ao nível pré-pandemia. A taxa dos últimos 12 meses, em novembro, que recuou 7,4%, é o resultado negativo mais intenso da série histórica deste indicador.

Setor de transportes foi destaque para alta no volume de serviços

A alta de 2,6% do volume de serviços de outubro para novembro de 2020 foi acompanhada pelas cinco atividades investigadas. Os destaques foram:

  • transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,4%);
  • serviços prestados às famílias (8,2%);
  • profissionais, administrativos e complementares (2,5%).

Os dois primeiros setores foram os mais afetados pela pandemia da covid-19, que impactou mais duramente os serviços de caráter presencial. Os transportes, com a sétima alta seguida, já acumulam ganho de 26,7% entre maio e novembro, mas ainda necessitam avançar 5,4% para voltar ao nível de fevereiro.

Regionalmente, a maior parte, 19 das 27 unidades da federação, apresentou expansão no volume de serviços em novembro de 2020, na comparação com o mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal. São Paulo (3,2%) exerceu o avanço mais importante. Já a principal retração foi do Distrito Federal (-9,9%).

Com informações do Estadão Conteúdo.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião