Semana do Fiagro

Vibra (VBBR3) pagará R$ 131,8 milhões em dividendos; veja valor por ação

Vibra (VBBR3) pagará R$ 131,8 milhões em dividendos; veja valor por ação
Vibra (VBBR3)

A Vibra (VBBR3), antiga BR Distribuidora, anunciou nesta quarta-feira (18) que vai pagar R$ 131,8 milhões em dividendos aos seus acionistas, de acordo com aprovação da proposta na Assembleia Geral Ordinária (AGO) feita no final de abril deste ano.

O valor dos proventos por ação será de R$ 0,11, que serão pagos em 30 de maio.

Apenas os investidores com ações da Vibra no dia 28 de abril, data da AGO, receberão os rendimentos. A data “ex-dividendos”, ações negociadas o sem direito ao rendimento, foi 29 de abril.

Segundo documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), esses proventos fazem parte dos dividendos obrigatórios do exercício de 2021, dos quais já foram pagos R$ 531,8 milhões em Juros Sobre Capital Próprio (JCP) anteriormente.

A parcela a ser paga pela Vibra no final do mês de maio soma um pagamento de R$ 663,6 milhões em dividendos aos acionistas.

Dividendos da Vibra

  • Valor total: R$ 131.849.828,95
  • Valor por ação: R$ 0,117107099
  • Data de corte: 28 de abril de 2022
  • Data do pagamento: 30 de maio de 2022
  • Rendimento (dividend yield): 2,96%

Leia mais

Vibra (VBBR3) e Brasil BioFuels anunciam parceria para produzir e vender biocombustível de aviação

Vibra Energia (VBBR3), ex-BR Distribuidora, e a Brasil BioFuels (BBF) anunciaram nesta quinta-feira (14) uma parceria para a produção e comercialização de combustível sustentável de aviação, conhecido como SAF (Combustível Sustentável de Aviação), a partir do óleo de palma.

BBF fará o investimento industrial, de cerca R$ 2 bilhões, na construção da biorrefinaria, na Zona Franca de Manaus, onde serão produzidos o HVO e o SAF, com volume estimado em 500 mil m3 por ano, o equivalente a 2% da demanda Brasil da Vibra de QAV+DIESEL e 24% da região Norte.

A Vibra não fará aporte financeiro e atuará como offtaker (acordo que ocorre entre um produtor e um comprador para adquirir ou vender porções dos próximos bens do produtor) individual, com exclusividade sobre a produção por 5 anos, possível de ser renovado por mais 5 anos.

A Vibra explica que se valerá da sua capilaridade de distribuição e força comercial para acessar clientes que estão em busca de soluções sustentáveis e ajudá-los a fazer sua descarbonização. Esta será a primeira produção no Brasil de biocombustível para a aviação em escala industrial, com oportunidade também de geração de créditos de carbono.

Cotação

No pregão de hoje, a cotação das ações da Vibra caiu 2,10%, cotada a R$ 19,58. No ano, o papel acumula baixa de 3,78%.

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO