Vendas no varejo nível recorde na série histórica, mostra IBGE

Após a alta de 1% no volume vendido em fevereiro ante janeiro, o varejo alcançou novo patamar recorde na série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em 2000, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

O resultado do varejo supera em 0,5% o nível recorde anterior, visto em outubro de 2020.

Já o varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção, veículos e atacado alimentício e que cresceu 1,2% em fevereiro ante janeiro, está em nível 0,8% aquém do ápice registrado em agosto de 2012.

O IBGE ainda revisou o resultado das vendas no varejo em janeiro de 2024 ante dezembro de 2023, de uma alta de 2,5% para uma elevação de 2,8%.

No varejo ampliado, a taxa de janeiro ante dezembro foi revista de uma alta de 2,4% para aumento de 2,8%.

Volume de vendas do varejo está 7,1% acima do pré-pandemia

O volume de vendas do varejo chegou a fevereiro 7,1% acima do nível de fevereiro de 2020, no pré-pandemia.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, as vendas operam 5,5% acima do pré-pandemia.

Os segmentos de artigos farmacêuticos, combustíveis, supermercados, veículos e material de construção estão operando acima do nível pré-crise sanitária.

O segmento de artigos farmacêuticos opera em patamar 39,9% acima do pré-crise sanitária; supermercados, 9,6% acima; veículos, 9,0% acima; combustíveis e lubrificantes, 6,8% acima; e material de construção, 3,1% acima.

Os outros artigos de uso pessoal e domésticos estão 6,2% abaixo do nível do varejo em fevereiro de 2020; equipamentos de informática e comunicação, 7,9% abaixo; móveis e eletrodomésticos, 10,8% aquém; tecidos, vestuário e calçados, 19,2% abaixo; e livros e papelaria, 44,3% abaixo.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião