Vale (VALE3): Morgan Stanley estima ganhos no 4T21 e eleva preço-alvo da mineradora

Vale (VALE3): Morgan Stanley estima ganhos no 4T21 e eleva preço-alvo da mineradora
Vale (VALE3) - Foto: Divulgação

Acreditando no fortalecimento dos preços do minério de ferro na China, o Morgan Stanley reiterou recomendação de compra para as ações da Vale (VALE3). Em um relatório divulgado na terça-feira (18), o banco de investimentos classificou as estimativas de desempenho das ações em “overweight” (acima da média do mercado).

Além disso, os analistas elevaram o preço-alvo das ADRs da Vale, que passaram de US$ 16,50 para US$ 17,50, com potencial de valorização de 12,8% sobre o valor de fechamento da véspera (US$ 15,51).

No último relatório do banco sobre a mineradora, de dezembro, os analistas do Morgan Stanley posicionaram os papéis da Vale como o top pick do segmento na América Latina, prevendo um excelente desempenho nos próximos meses.

“Estamos overweight na ação, pois vemos uma recompensa de risco positivamente suportada pelos altos preços do minério de ferro no primeiro semestre de 2022 devido à produção de aço sequencialmente mais alta na China”, diz relatório do Morgan Stanley assinado por Carlos de Alba, Jens Spiess e Ricardo A Monegaglia Neto.

Previsões para o 4T21

Os analistas fizeram suas previsões para o quarto trimestre da Vale com base em melhores taxas operacionais e preços de commodities mais elevados.

De acordo com o relatório, o Morgan Stanley estima um Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de US$ 6,490 bilhões no 4T21, com uma margem Ebitda de 51,7%.

Em relação a exportação de minério de ferro, o banco espera um número na ordem de 90 milhões de toneladas entre outubro e dezembro e o fechamento de 306 milhões de toneladas embarcadas em 2021.

Além disso, eles destacam o recuo no custo de caixa para as exportações de minério, em US$ 1,4 por tonelada, quando comparado com o trimestre anterior, para US$ 16,7.

Ações da Vale estão baratas

Em relatório, os analistas indicam que as ações da Vale estão sendo negociadas com desconto em relação à média de 4 anos, de 6,8x versus 10,7x, considerando um período anterior a tragédia de Brumadinho.

“Projetamos que a Vale tenha um fluxo de caixa sólido nos próximos anos, apesar das previsões de preços de entrada e saída mais baixas e pagamentos futuros do acidente de Brumadinho”, diz relatório.

Com boa posição de caixa, os analistas indicam que a empresa deve retornar o excesso de caixa aos acionistas por meio de dividendos ou recompras de ações.

Cotação da Vale nesta quarta (19)

As ações da Vale subiam 2,20% no Ibovespa, para R$ 88,21.

Já as ADRs da Vale, listadas em Nova York, avançaram 4,32%, para US$ 16,18.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO