Vale (VALE3) está empenhada em recuperar a confiança dos investidores, diz BTG

Após conversas com a administração da Vale (VALE3), analistas do BTG Pactual (BPAC11) pontuaram em relatório que a administração da companhia está confiante em relação às metas de produção e custos para 2024, além de muito empenhada em recuperar a confiança dos investidores.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Em relação a dividendos, a impressão do BTG é de que a administração da Vale deveria ser mais ‘prudente’ no planejamento do primeiro semestre de 2024, deixando dividendos extraordinários mais para o segundo semestre deste ano.

“Em suma, mantemos a nossa opinião de que as ações permanecem com grandes descontos, e dissociado dos fundamentos. Vemos ações sendo negociadas abaixo de 4 vezes o Ebitda de 2024, e ainda acreditamos que um rendimento de dividendos de aproximadamente 10% seja alcançável no ano”, ressaltam os analistas Leonardo Correa e Caio Greiner.

Sobre a oferta de minério de ferro, o BTG observa que a Vale não vê grandes adições de capacidade impactando os mercados em 2024. Já no lado da procura, o banco pontua que a produção de aço bruto na China deverá permanecer estável, mas os níveis de estabilidade em toda a cadeia siderúrgica deverão continuar pressionados.

O BTG tem recomendação de ‘compra’ para as ações de Vale, com preço-alvo a R$ 19,00.

Vale (VALE3): produção de minério de ferro sobe 10,6% no 4T23, para 89,3 milhões de toneladas  

A produção de minério de ferro da Vale subiu 10,6% no quarto trimestre de 2023 na comparação com o mesmo período do ano anterior, para 89,3 milhões de toneladas, de acordo com comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na comparação com o trimestre anterior, a produção de minério cresceu 3,7%.

No ano passado, a produção da Vale alcançou 321,15 milhões de toneladas, acima da projeção da mineradora, que estimava 315 milhões de toneladas. Segundo a Vale, esse resultado no 4T23 da Vale pode ser explicado pelas iniciativas contínuas para melhorar a confiabilidade no S11D, além do sólido desempenho nos complexos de Itabira e Vargem Grande e das maiores compras de terceiros.

“O desempenho da Vale no quarto trimestre foi marcado por produção e vendas sólidas em todos os negócios. Em dezembro, a produção mensal de minério de ferro foi a maior desde 2018”, disse a Vale em relatório depositado nesta segunda-feira, 29, na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Em pelotas, um dos maiores ativos da companhia, a produção registrou alta de 19,2% no período, para 9,85 milhões de toneladas, devido, principalmente, ao início da produção de briquetes, que começou no quarto trimestre de 2023, um passo importante na estratégia de descarbonização da siderurgia, por meio do aumento da oferta de aglomerados de minério de ferro.

Em 2023, a produção de pelotas da Vale foi de 36,45 milhões de toneladas, uma alta de 3,5% na base anual, mas abaixo da projeção da Vale, que era de 37 milhões de toneladas.

Produção de níquel tem queda

produção de níquel da Vale, por sua vez, atingiu 44,9 mil toneladas no quarto trimestre, 5,3% inferior que o visto no mesmo período de 2022. No ano passado, a produção foi de 164,9 milhões de toneladas, uma baixa de 7,9% ante o ano anterior, em linha com a estimativa.

Devido a organização de alguns ativos, entre eles Voisey`s Bay, que passou para mineração subterrânea, bem como a reforma do forno de Onça Puma, já era esperado pelo mercado essa queda no segmento de níquel.

No trimestre, a produção de cobre atingiu 99,1 mil toneladas, uma elevação de 49,5% na comparação anual. Em 2023, a produção aumentou 29% no ano contra ano, totalizando 326,6 milhões de toneladas, acima da projeção de 325 milhões de toneladas, impulsionado pelo ramp-up de Salobo 3, que acabou aumentando a produção em 87% no trimestre na comparação anual.

Como foram as vendas da Vale?

No último trimestre de 2023, as vendas de minério de ferro da Vale caíram 4,1% ante o mesmo intervalo de 2022, totalizando 77,88 milhões de toneladas. No ano, a mineradora registrou vendas de 256,78 milhões de toneladas, uma retração de 1,5% na comparação anual.

Por outro lado, as vendas em pelotas somaram 10,285 milhões de toneladas no período, valor 17% superior ao visto no mesmo trimestre do ano anterior. Em 2023, as vendas subiram 8,1% e somaram 35,84 milhões de toneladas.  

Já as vendas de níquel caíram 17,7% no quarto trimestre do ano passado, a 47,9 mil toneladas. Em 2023, as vendas somaram 167,9 milhões de toneladas, uma baixa de 7,1% na base anual.  

No trimestre, a venda de cobre da Vale foi de 97,5 mil toneladas, um aumento de 36,2% na comparação anual. No ano passado, a venda aumentou 26,2% ante 2022, totalizando 307,8 milhões de toneladas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Desempenho das ações de Vale

Cotação VALE3

Gráfico gerado em: 12/02/2024
5 Dias

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião