Vale (VALE3), CSN Mineração (CMIN3): queda do minério de ferro derruba ações na Bolsa

Vale (VALE3), CSN Mineração (CMIN3): queda do minério de ferro derruba ações na Bolsa
Escavadeira carrega caminhão fora de estrada com mineral de cobre na mina da Vale localizada em Marabá. Foto: Ricardo Teles/Divulgação Vale

Os contratos de minério de ferro negociados na China atingiram seu menor níveis em quase dois meses, com preocupações do mercado com a desaceleração da economia chinesa e aumento global das taxas de juros. Nesta terça (10), a queda chegou a 7% em Dalian, para US$ 112,71. Já em Cingapura, as perdas foram de 3%, a US$ 123,45.

Com isso, empresas brasileiras que dependem da commodity tiveram forte queda em Bolsa:

Segundo analistas ouvidos pela Reuters, a queda no minério de ferro teve início com o aumento dos juros nos Estados Unidos, pelo Federal Reserve. A alta foi de 0,5 pontos percentuais, como já era esperado pelo mercado financeiro.

“Isso levou a um declínio significativo nos preços das commodities denominadas em dólares americanos, como o minério de ferro”, indicam analistas da GF Futures, em nota à Reuters.

Além disso, as medidas de tolerância zero da China em relação aos novos casos de Covid-19 colocam em dúvida o crescimento econômico do País em 2022. Novos lockdowns e isolamento social da população levantam temores sobre a demanda chinesa e os níveis de consumo de aço nos próximos meses.

A China é a maior produtora de aço bruto do mundo e também a maior importadora da commodity. Entre janeiro e abril deste ano, as importações já passaram por redução na ordem de 7,1% na comparação anual, equivalente a 354,4 milhões de toneladas, segundo dados da autoridade alfandegária.

Queda do minério de ferro e as empresas brasileiras

Para as empresas de commodities brasileiras ligadas ao minério de ferro, o boom visto nos últimos meses, com a cotação do produto nas alturas, pode estar chegando ao fim.

Analistas apontam preocupação com a demanda chinesa e as consequências para empresas como Vale, CSN Mineração, Usiminas e outras.

Em relatório, o BB Investimentos destacou que o PMI Industrial da China, em abril, recuou para 47,4 pontos. Trata-se do menor nível visto desde fevereiro de 2020, quando a pandemia chegava aos outros países e já assolava fortemente o gigante asiático.

Para os analistas, trata-se de um reflexo da expectativa de retração da atividade industrial no país diante dos lockdowns impostos pelo governo, o que ainda deve movimentar o preço do minério de ferro e o setor de mineração e siderurgia no Brasil.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO