UE espera ‘compromisso claro’ do Mercosul quanto a sustentabilidade

UE espera ‘compromisso claro’ do Mercosul quanto a sustentabilidade
A União Europeia quer "um compromisso claro" do Mercosul no que concerne à seção de desenvolvimento sustentável do acordo comercial

O vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, afirmou nesta segunda-feira (21) que a União Europeia (UE) espera “um compromisso claro” do Mercosul para garantir que o bloco sul-americano respeitará a seção de “desenvolvimento sustentável” do acordo comercial, que ainda não foi ratificado.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

“Um certo número de Estados membros e partes interessadas destacam questões sobre desenvolvimento sustentável nos países do Mercosul, a adesão ao Acordo de Paris e o desmatamento, especialmente no Brasil”, salientou Valdis Dombrovskis, depois de reunião com ministro do Comércio da UE.

“Devemos levar essas questões a sério e a Comissão Europeia busca um compromisso claro dos países do Mercosul”, acrescentou o vice-presidente da instituição.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

O ministro da Economia da Alemanha, Peter Altmaier, sinalizou que tinha desacordos sobre o assunto em uma discussão informal entre os países membros no último domingo (20), porém acrescentou que “estavam claramente dispostos a evitar qualquer divisão sobre o Mercosul e a discutir o que podemos fazer, preenchendo as lacunas, sem antecipar nem apressar as coisas”.

Acordo Mercosul-UE está paralisado desde 2019

O acordo comercial de livre comércio entre os países do Mercosul e da União Europeia foi concluído no ano passado, depois de 20 anos de negociações, no entanto ainda não foi assinado assinado e continua paralisado.

Os parlamentos austríaco e holandês, que devem ratificar o acordo assim como todos os parlamentos do bloco europeu, rechaçaram o texto em sua forma atual. Ao mesmo tempo, países como Bélgica, Irlanda, Luxemburgo e França permanecem receosos. Além disso, a Alemanha, nação que atualmente ocupa a presidência rotativa da UE e antes grande defensora do pacto, mudou de posição nos últimos meses.

As preocupações se devem às consequências do acordo com o Mercosul para os agricultores europeus, mas principalmente devido aos riscos que representa para o meio ambiente, especialmente o desmatamento da Amazônia, favorecido pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião