Twitter (TWTR34) tem alta de 87% na receita do 4º trimestre; ações sobem

Twitter (TWTR34) tem alta de 87% na receita do 4º trimestre; ações sobem
Twitter (Foto: Reprodução)

O Twitter (TWTR34) divulgou nesta terça-feira (9) que teve lucro líquido de US$ 222,116 milhões no quarto trimestre de 2020, equivalente a US$ 0,27 por ação diluída, pouco abaixo da projeção de analistas consultados pelo Wall Street Journal, de US$ 0,29.

Apesar de menor que o esperado, o lucro da empresa para o período registrou alta anual de 87,0%, o que agradou investidores. Por volta das 20h50, as ação do Twitter subiam 1,72%, a US$ 60,90, no after hours na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse).

No acumulado do ano, a empresa de rede social apurou prejuízo de US$ 1,136 bilhão, ante lucro de US$ 1,465 bilhão em 2019.

A receita da empresa no último trimestre do ano passado foi de US$ 1,289 bilhão, 28% acima dos US$ 1,007 bilhão registrados há um ano. Em 2020, a receita avançou 7,42% e chegou a US$ 3,716 bilhões.

O número de usuários ativos diários monetizáveis do Twitter entre outubro e dezembro de 2020 subiu 27% e chegou a 192 milhões em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Twitter compra startup de assinaturas Revue

Mais cedo neste cedo, o Twitter anunciou a aquisição da startup Revue, editora de boletins informativos, como parte da iniciativa de expansão e para oferecer mais recursos a autores que distribuem seu trabalho pela plataforma. O valor do negócio não foi divulgado.

A Revue oferece gestão de publicações e assinaturas de boletins e continuará operando como “serviço autônomo” dentro da rede social. A empresa possui uma equipe de seis pessoas e é sediada em Utrecht, na Holanda. Com a aquisição mais funcionários serão contratados para ampliar a unidade.

A rede social disse que eliminaria algumas taxas com a finalidade de incentivar mais pessoas a criar boletins informativos e cobrará comissão de 5% sobre a receita com assinaturas arrecadadas via Revue.

De acordo com o comunicado do Twitter, “A monetização com base em público será uma área na qual continuaremos a desenvolver novas maneiras de oferecer suporte”.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO