Turismo tem perda de faturamento de R$ 183 bi na pandemia

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontou nessa sexta-feira (11), após a divulgação da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), que o faturamento do setor de turismo já caiu R$ 182,86 bilhões desde o início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Além disso, a pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que a queda na atividade do setor de turismo fechou 446,3 mil empregos formais.

“Entre março e julho de 2020, a força de trabalho formal do turismo encolheu 12,8%, maior queda quando comparada aos demais setores da economia”,  apontou o relatório da CNC.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Em relação as projeções para o ano, a CNC estima que o faturamento real do setor deve cair 37,2% este ano. A confederação ainda projeta que o faturamento do setor deve voltar aos níveis pré-pandemia no terceiro trimestre de 2023.

Em contrapartida, a atividade turística teve um avanço em julho, de 4,8%, em comparação a junho. Contudo, não foi suficiente para recuperar o tombo anotado em março e abril.

No relatório, a confederação aponta que “assim como nas pesquisas do próprio IBGE relativas à indústria e ao comércio, as empresas que compõem as atividades turísticas perceberam o fundo do poço da atual recessão no mês de abril”.

Senado aprova MP que libera R$ 5 bi ao setor de turismo

O Senado Federal aprovou no início desse mês uma medida provisória que libera R$ 5 bilhões ao setor de turismo, em uma tentativa de mitigar os impactos da pandemia.

A MP 963 foi aprovada na Câmara dos Deputados no dia 1 e visa possibilitar a concessão de financiamento ao setor turismo, com capital de giro a micros, pequenas, médias e grandes empresas (MPMEs). O texto não sofreu alteração e seguirá para a promulgação.

Em abril deste ano, uma portaria ministerial mudou as regras de empréstimos do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para operadores cadastrados. Com isso, houve uma redução dos juros para capital de giro, de 7% para 5% ao ano, além de uma extensão da carência do início de pagamento.

De acordo com dados do Ministério do Turismo, o setor corresponde a cerca de 8% do Produto Interno Bruto (PIB) e emprega mais de 6,7 milhões de pessoas. O turismo vem sofrendo perdas significativas, “tanto por ter sido o primeiro a ser paralisado como provavelmente será um dos últimos a retomar as atividades ao nível normal”, afirmou o relator da proposta e líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião