Suzano (SUZB3) incorporará S. Participações para reter custos

Suzano (SUZB3) incorporará S. Participações para reter custos
Suzano (SUZB3)

A Suzano (SUZB3) informou nesta quarta-feira (25) que realizará uma Assembleia Geral Extraordinária (AGOE) para decidir a extinção da Suzano Participações, cujo capital social é integralmente detido pela empresa de celulose, e a transferência de todo seu patrimônio para a companhia.

De acordo com o fato relevante da Suzano, o objetivo é “simplificar a estrutura societária do grupo da companhia, com redução de custos administrativos e ganhos de sinergia operacional”.

Para realizar a operação a empresa estima um gasto total de R$ 185 mil, “incluindo os custos para elaboração, publicação e registro dos atos societários, e as despesas com os honorários de avaliador e demais profissionais contratados”. A empresa de celulose ressalta que não identifica fatores de riscos.

“A incorporação não resultará em aumento de capital da Suzano e, consequentemente, não haverá qualquer relação de substituição de ações, tendo em vista que a Suzano é detentora da totalidade do capital social da S. Participações”, informou o documento.

A operação não está sujeita à verificação de autoridades brasileiras, como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), ou estrangeiras.

Suzano registra lucro líquido de R$ 1,17 bilhão no 4T19

No quarto trimestre de 2019, a Suzano registrou lucro líquido de R$1,17 bilhão, com queda de 61% na comparação anual.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 2,465 bilhões no período. Quando comparado ao mesmo período do ano anterior, houve redução de 31%. Entretanto, os analistas consultados pela “Refinitiv” previam um resultado semelhante, de R$ 2,439 bilhões.

Bolsa em queda livre!? Aproveita as maiores oportunidades da bolsa brasileira com nosso acesso Suno Premium

De acordo com a empresa, a queda do Ebitda ocorreu por conta do menor preço líquido da celulose em dólares.

O custo caixa de produção de celulose da Suzano entre outubro e dezembro foi de R$ 631 por tonelada, excluindo efeito de parada de manutenção de fábrica. O número indica queda de 4% em comparação ao trimestre anterior e baixa de 3% ante o mesmo período de 2018.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião