IRB (IRBR3) ganha dispensa de fiscalização especial da Susep após reenquadramento

IRB (IRBR3) ganha dispensa de fiscalização especial da Susep após reenquadramento
IRB (IRBR3) pagará dividendos pela primeira vez desde 2019

O IRB Brasil (IRBR3) informou, na manhã desta quarta-feira (7), que a Superintendência de Seguros Privados (Susep) encerrou a fiscalização especial que mantinha sobre a empresa, após o reenquadramento necessário do ressegurador.

Segundo o fato relevante, a Susep reconheceu que a companhia “apresentou ativos exigidos para garantir as provisões técnicas definidas pelo órgão regulador do setor de seguros e resseguros”. A autarquia estava acompanhando de perto o IRB Brasil desde 11 de maio do ano passado.

Em fevereiro desde ano, a companhia havia dito que o balanço final de 2020 tinha demonstrado o enquadramento regulatório necessário referente aos índices de liquidez e cobertura de provisões técnicas.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

O reenquadramento foi alcançado após a implementação de um plano da gestão da empresa, entre julho e dezembro. A companhia levantou R$ 4,8 bilhões, com aumento de capital e emissão de debêntures, garantindo recursos financeiros e provisões técnicas para assegurar sua solvência.

Em nota, o presidente do Conselho de Administração e ex-CEO, Antonio Cassio dos Santos, disse que essa “era a etapa que faltava para o definitivo retorno do IRB a um período de resultados positivos e à sua trajetória como o maior ressegurador da América Latina. Cumprimos nosso compromisso”.

“O encerramento da Fiscalização Especial pela Susep representa um marco fundamental no processo de recuperação da companhia, com mais de 80 anos de existência, fruto de um trabalho intenso de toda a atual administração do IRB”, afirma a empresa no documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Em comentário ao SUNO Notícias, o vice-presidente financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Werner Süffert, disse que “foi uma jornada exitosa em que obtivemos os ativos garantidores para a cobertura das provisões no tempo esperado, mesmo em um cenário de mercado complexo devido à pandemia”.

Para ele, essa é uma “demonstração inequívoca da credibilidade do IRB e do trabalho das nossas equipes. Agora, a companhia seguirá seu caminho natural de crescimento sustentável”.

IRB Brasil tem lucro em janeiro

Revertendo o prejuízo reportado no mesmo período do ano passado, o IRB Brasil teve um lucro líquido de R$ 17,9 milhões em janeiro deste ano.

O faturamento bruto (prêmio emitido) trouxe à tona a estratégia de focar em negócios e mercado que, de fato, agreguem valor à companhia. A receita atingiu R$ 813,6 milhões em janeiro, um avanço de 29,9% na comparação anualizada, sendo R$ 463,8 milhões no Brasil (+110,7%) e R$ 349,8 milhões no exterior (-13,9%).

A companhia informou que, no mês de janeiro, “não foram observados one-offs que mereçam destaque”. Ou seja, não ocorreram situação não recorrentes passíveis de menção.

Após prometer ao mercado “um novo IRB” no quarto trimestre do ano passado, a companhia já passou a colher os frutos de sua reestruturação. Na última teleconferência de resultados, Cássio dos Santos disse que o IRB Brasil deve ter um 2021 similar a 2017 e 2018, períodos positivos e que foram anteriores às irregularidades identificadas nas contas da empresa.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se