Sonangol irá adquirir posição da Oi na Unitel, diz presidente

Sonangol irá adquirir posição da Oi na Unitel, diz presidente
Oi (divulgação)

O presidente da Sonangol, Gaspar Martins, disse que a empresa irá adquirir a posição de 25% pertencente a Oi (OIBR3; OIBR4) na operadora de telecomunicações angolana Unitel. A afirmativa foi feita em entrevista ao portal português “Expresso”.

A Oi, em processo de recuperação judicial, tem como objetivo vender os 25% que detém na companhia angolana para levantar um valor que possa ajudar a empresa a se reerguer. De acordo com especialistas, a operação pode render cerca de US$ 1 bilhão a empresa brasileira de telecomunicações.

“Estamos a equacionar a hipótese de ficar com a posição da PT Ventures, mas tudo está dependente da decisão final do Tribunal Arbitral de Paris”, afirmou ao portal “Expresso” o presidente da Sonangol.

Interesse antigo

Em junho do ano passado, a Oi recebeu duas propostas para vender sua participação de 25% do capital na empresa angolana Unitel. Entre os interessados, estava a estatal petrolífera angolana Sonangol.

Veja também: Caixa planeja IPO de seguridade em abril; negócio é avaliado em até R$ 60 bi

Na época, a empresa se manifestou sobre o suposto interesse da angolana e publicou uma nota. “A Oi esclarece, contudo, que não recebeu nenhuma proposta da Sonangol e que não há qualquer negociação concluída”, informou em maio do ano passado.

Troca de comando na Oi

O presidente da Oi, Eurico Teles, sairá da presidência da companhia no dia 30 de janeiro deste ano. A companhia divulgou a notícia em meados de dezembro, por meio de um fato relevante.

O Conselho de Administração da empresa de telecomunicações indicará o nome do substituto para o cargo. O plano da Oi, que foi homologado pela Justiça em Setembro, prevê que Teles saia da companhia até o começo de 2020.

O provável substituto de Teles deve ser Rodrigo Abreu, o atual Chief Operating Officer (COO) da companhia.

Oi opera em alta

A Oi opera em alta de 4,65% nesta segunda-feira (6), por volta das 12h40, cotada a R$ 0,90. O avanço se deu após notícias de que a empresa conseguiu se desfazer de ativos em uma empresa angolana.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião