Balanços da semana

SNEL11 investe R$ 50 milhões captados em oferta; veja quando o FII deve pagar dividendos

A Suno Asset, gestora do Grupo Suno, concluiu a alocação de R$ 50 milhões levantados em uma oferta. O dinheiro foi captado pelo fundo imobiliário Suno Energias Limpas (SNEL11), para investir em projetos fotovoltaicos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

O SNEL11 é o 1º fundo imobiliário que tem suas aplicações voltadas à energia limpa. Com essa quantia, e levando em conta a diminuição do capex em razão da baixa do dólar, o FII quer desenvolver 11 megawatt-pico (MWp) em áreas de concessão de empresas como Cemig (CMIG4), Enel Ceará e Celpe.

Para cumprir esse objetivo, a gestora comprou terrenos nas cidades de Petrolina (PE), João Pinheiro (MG) e Amontada (CE), locais onde serão realizadas as instalações de usinas solares.

Ao portal Valor Econômico, o especialista em projetos solares e responsável técnico do fundo imobiliário SNEL11, Rafael Menezes, diz que a energia se destina para “clientes de baixa tensão, que se enquadram desde residenciais a pequenos comércios”.

Além disso, ele explica que “algumas gestoras de crédito farão a comercialização e gestão destes créditos. Estamos em conversa com Safira, Nextron, Lemon e Flora. Todas elas têm uma demanda muito maior do que a capacidade que estamos trazendo”.

O novo marco brasileiro de geração distribuída determinou a cobrança da taxa Tusd (tarifa cobrada pelo uso do sistema de distribuição) de forma gradual, iniciando em janeiro de 2023 e chegando até 2030 em 29%. Desde que todos os projetos do SNEL11 estejam isentos da tarifa, Menezes acredita que o fundo alcance a sua rentabilidade esperada.

A estimativa do FII SNEL11 é de que de dezembro de 2023 até janeiro de 202, o fundo inicie os seus pagamentos mensais de dividendos. Esses rendimentos viriam do faturamento alcançado na venda de energia solar.

SNEL11 assina escritura de direito de superfície de imóvel em Petrolina/PE

O SNEL11 informou que no dia 7 de julho de 2023 assinou uma nova escritura de superfície, para ter a concessão de 83% sobre o direito real de superfície sobre 2,24% de um imóvel.

A concessão é dada ao SNEL11 pelo prazo de 25 anos, de modo que o percentual remanescente foi outorgado 15% para a Voltxs Energia e 2% para a CBIE Consultoria e Participações.

O fundo SNEL11 vai realizar sobre o imóvel a construção de 4 usinas solares fotovoltaicas com potência instalada de 1,25 MW cada, totalizando 5,02 MW, usando a rede da CELPE para conexão do sistema de geração de energia elétrica.

O prazo estimado de obras é de 6 meses e, com os projetos concluídos, o SNEL11 vai arrendar o empreendimento imobiliário para terceiros, que vão poder explorar a energia gerada pelo sistema de compensação de energia elétrica.

Considerando a outorga do direito de superfície e a construção do empreendimento imobiliário, o SNEL11 estima o investimento total de R$ 25,27 milhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião