SNEL11 pagará R$ 1,50 por cota em dividendos em novembro

O fundo imobiliário Suno Energias Limpas (SNEL11) pagará R$ 1,50 por cota em dividendos em sua próxima distribuição, com o dividend yield (DY) mantido em 19,56%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

O pagamento dos dividendos do SNEL11 serão pagos no dia 24 de novembro.

Segundo os dados da Suno Asset, o SNEL11 registrou 3,3 mil cotistas ao fim de outubro.

Com eventuais exceções do SNAG11, os dividendos dos fundos da Suno são tradicionalmente anunciados nos dias 15 de cada mês e pagos no dia 25.

Quando alguma dessas duas datas não é um dia útil (feriado e fins de semana), o pagamento ou a divulgação é antecipada para o dia útil anterior.

Dividendos do SNEL11

  • Dividendos: R$ 1,50 por cota
  • Data com: 14/11/2023
  • Data de pagamento: 24/11/2023
  • Período de referência: Outubro
  • Dividend Yield anualizado: 19,56%
  • Dividend Yield do pagamento: 1,50%

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/01/1420x240-Banner-Artigos-1-_-Banner-Materias-1-SNCI-AO.png

SNEL11: Fundo com foco em energia limpa mira retorno de 20% ao ano

O SNEL11, novo fundo da Suno, dá acesso ao investidor de um mercado lucrativo que os investidores pessoa física tendem a não ter acessibilidade: o de energias renováveis – com movimentações bilionárias dentre empresas – como Engie (EGIE3) – e investidores institucionais.

O SNEL11 ainda ficará aberto aos investidores, e mira um retorno de 20% ao ano, conforme a Suno Asset. Isso considerando que os reajustes de tarifas foi equivalente a cerca de o dobro do IPCA nos últimos anos.

O fundo deu seu pontapé inicial em seu primeiro projeto em meados de maio, e fez uma oferta de emissão de cotas em dezembro do ano anterior, levantando R$ 50 milhões – com lock-up até o mês de dezembro de 2023.

vantagem competitiva da classe de fundo é que ele investe dinheiro especificamente em projetos, em vez de em Sociedades de Propósito Específico (SPE) – sendo menos tributado e dando um retorno maior aos cotistas.

Além disso, o fundo investe em geração distribuída, mostrando uma flexibilidade de tarifas e a possibilidade de acessar projetos com uma base de clientes com ticket mais alto.

Atualmente os projetos que estão na carteira do SNEL11 estão localizados em Amontada (CE), Petrolina (PE) e João Pinheiro (MG), e detalhados nos relatórios recentes do fundo.

No seu relatório mais recente, o SNEL11 destacou que os projetos San Remo 1 e 2 somam um Capex de R$ 19,1 milhões e potência instalada projetada de 4,76MW.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião