Direcional (DIRR3): de olho nos dividendos, Santander revisa preço-alvo e mantém companhia como top pick

O Santander revisou suas projeções para a Direcional (DIRR3), uma das maiores incorporadoras do Minha Casa Minha Vida (MCMV), e manteve a construtora como sua principal recomendação no setor, aumentando o preço-alvo de suas ações de R$ 31 para R$ 33. A revisão indica um potencial de valorização de 27,4% em relação ao último fechamento. A recomendação de compra continua válida.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Em relatório, os analistas Fanny Oreng, Antonio Castrucci e Matheus Meloni explicam o motivo da atualização de estimativa para a Direcional: a melhoria no desempenho das vendas da Direcional pode levar a uma menor queima de caixa do que inicialmente previsto para este e o próximo ano, permitindo que a companhia se destaque como uma forte pagadora de dividendos nos próximos anos.

“Além das vendas mais fortes, a empresa também tem opções para diminuir a alocação de capital no negócio no curto prazo via a venda de recebíveis e a monetização de terrenos antigos adquiridos em dinheiro, por meio da venda de SPEs (como realizado no 1T24 da Direcional)”, pontua o relatório.

Essas estratégias, explicam os analistas, podem aumentar o pagamento de dividendos da Direcional em 2024 em até 50%.

Além disso, o banco enfatiza o desempenho da empresa frente aos seus concorrentes. Eles baseiam sua recomendação no valuation atrativo das ações da Direcional, que estão sendo negociadas a seis vezes as estimativas de lucro para 2025, mesmo com um crescimento anual composto (CAGR) projetado de 37% entre 2023 e 2026 e um rendimento de dividendos previsto de 8,3% para o próximo ano.

A Direcional, segundo os estrategistas, tem se beneficiado de um cenário competitivo mais favorável e da redução do número de localidades em que opera, o que deve aumentar a eficiência comercial e gerar economias de escala em seus projetos.

A empresa, diz o relatório, também apresenta um sólido balanço patrimonial, com uma relação dívida sobre patrimônio líquido de 9% no primeiro trimestre, o que sustenta um crescimento acelerado a curto prazo.

O relatório do Santander também destaca o potencial de expansão do retorno sobre o patrimônio líquido da Direcional, com uma estimativa de aumento de 27% em 2024, um incremento de 700 pontos-base em relação ao ano anterior.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Minicurso-FIIS.png

Lucro da construtora cresce 156% no 1T24

A construtora Direcional registrou um lucro de R$ 150,3 milhões no primeiro trimestre deste ano (1T24), representando um aumento de 156% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A receita também apresentou crescimento, subindo 20,1% e alcançando R$ 669,4 milhões.

O valor geral de vendas (VGV) lançado atingiu R$ 896,5 milhões, uma alta de 46,7%. Desse total, R$ 332,3 milhões foram atribuídos à Direcional, marcando uma queda anual de 30,4% no 1T24 da Direcional, enquanto os R$ 564,2 milhões restantes foram da Riva, com aumento de 321,2% em relação ao ano anterior.

As vendas líquidas da Direcional totalizaram R$ 1,3 bilhão entre janeiro e março, um crescimento de 63% na comparação anual. As vendas da Direcional aumentaram 32,8%, atingindo R$ 756,9 milhões, enquanto as da Riva cresceram 135,4%, chegando a R$ 550,7 milhões. O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) alcançou R$ 174,4 milhões, um aumento de 49,7% em relação ao ano anterior, com a margem Ebitda subindo de 20,9% para 26%.

No entanto, as unidades lançadas da Direcional caíram 19%, totalizando 2.238. O índice de velocidade de vendas (VSO) aumentou 530 pontos base em relação ao quarto trimestre, atingindo 22%. Além disso, os distratos diminuíram 14%, totalizando R$ 85 milhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Murilo Melo

Compartilhe sua opinião