Citi eleva preço-alvo da Sabesp (SBSP3) e aumenta estimativas com proximidade da privatização

O Citi aumentou de R$ 84 para R$ 97 o preço-alvo das ações da empresa de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, a Sabesp (SBSP3), reiterando recomendação de “compra”, segundo relatório enviado ao mercado nesta quarta-feira (3). O preço ainda considera a companhia como estatal, com potencial de valorização de 18,2% ante o fechamento da terça-feira (2).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Em um cenário de privatização da empresa, os analistas do Citi estimam o preço-alvo da Sabesp em R$ 150. Na visão contrária, calculam em R$ 71. Os estrategistas dizem que aumentaram as estimativas para o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da companhia, em 2024 e 2025, em 10% e 9%, respectivamente.

O ajuste para cima reflete a redução da premissa de ineficiência de longo prazo para R$ 1,5 bilhão por ano, ante R$ 2,2 bilhões anteriormente. “A administração da Sabesp tem feito um bom trabalho no ajuste da base geral de custos da empresa e no tratamento adequado das receitas regulatórias, o que pode reduzir ainda mais as ineficiências”, afirmam os analistas Antonio Junqueira e Guilherme Bosso em relatório.

O novo preço-alvo do Citi para a ação da Sabesp leva em consideração a atual condição da empresa estatal de saneamento básico em processo de privatização da Sabesp, mantendo recomendação de compra para o papel.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

Com privatização, empresa de saneamento deve faturar cerca de R$ 15 bilhões

A oferta de ações para reduzir a participação do governo de São Paulo na Sabesp está prevista para junho, com estimativas do Bradesco sugerindo um montante de cerca de R$ 15 bilhões, superando em pouco mais de quatro vezes o lucro da companhia em 2023, que foi de R$ 3,5 bilhões.

A Sabesp está planejando um follow-on para que o governo venda entre 15% e 30% das ações da companhia, tendo atualmente 50,3% dos papéis. Embora a gestão Tarcísio de Freitas (Republicanos) ainda não tenha determinado a fatia de venda da Sabesp, fontes próximas às negociações indicam que o estado está inclinado a vender 30%, o máximo permitido pela legislação aprovada pela Assembleia Legislativa no ano anterior, segundo informações do jornal Folha de S.Paulo.

À jornalista Julia Moura, da Folha, o vice-presidente do Bradesco BBI, Bruno Boetger, destacou a magnitude da oferta, considerando-a significativa para o mercado brasileiro, estimando cerca de US$ 3 bilhões. Ele afirmou que há uma forte demanda pela oferta, com empresas estratégicas e financeiras interessadas no follow-on da Sabesp.

O Bradesco também demonstra otimismo em relação a novas ofertas de ações da Sabesp no segundo semestre deste ano na Bolsa de Valores brasileira, prevendo cinco IPOs de empresas de qualidade nesse período. O banco estima que as ofertas de ações, incluindo IPOs e follow-ons, possam totalizar entre R$ 40 bilhões e R$ 60 bilhões neste ano. A empresa fechou o Ibovespa nesta quarta (3) cotada a R$ 83,48, com alta de 1,76%.

Cotação SBSP3

Gráfico gerado em: 03/04/2024
1 Mês

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Murilo Melo

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno