Rumo (RAIL3) assinará contrato com MT para construção de ferrovia

Rumo (RAIL3) assinará contrato com MT para construção de ferrovia
Rumo. Foto: Reprodução Facebook

Na próxima segunda-feira (20) a Rumo (RAIL3) assinará um contrato com o governo do Mato Grosso para a construção, implantação e exploração da primeira ferrovia estadual de Mato Grosso.

Segundo o governo do estado, a assinatura do contrato autoriza a Rumo a iniciar a construção de 730 quilômetros de linha férrea, que vai interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde — linhas que vão se conectar à malha ferroviária nacional em direção ao Porto de Santos (SP).

O projeto, segundo a administração estadual, prevê investimentos de R$ 11,2 bilhões para a implantação da ferrovia estadual. A partir do início das obras, a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados ficará responsável pela fiscalização do andamento.

“Estudos realizados pela Rumo Logística indicam que mais de 230 mil empregos serão gerados durante os anos de construção da ferrovia”, diz o governo do Mato Grosso em nota.

A previsão é de que o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estará concluído e em funcionamento em 2025, enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar em 2028.

Uma vez implantada, a Rumo fica autorizada a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos. A infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada pela empresa com outra companhia de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.

Veja também:

Rumo autoriza emissão de até US$ 500 milhões em bonds sustentáveis

No início dessa semana a Rumo autorizou a emissão de notas seniores (bonds) no exterior pela subsidiária Rumo Luxembourg no valor de até US$ 500 milhões.

De acordo com a empresa, o prazo de vencimento das notas é de 10 anos e quatro meses, vencendo-se, portanto, em 18 de janeiro de 2032. As notas emitidas pela subsidiária da Rumo serão remuneradas à taxa de até 5% ao ano e será paga semestralmente até a data de vencimento, nos meses de janeiro e julho.

A Rumo destacou que a remuneração poderá ser majorada em até 25 pontos-base, caso a companhia descumpra com a meta associada ao indicador de desempenho sustentável (Sustainability Performance Target).

Com informações do Estadão Conteúdo

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!