Renner (LREN3) nega negociação e contato com hackers que derrubaram site

A Lojas Renner (LREN3) negou que tenha negociado com os autores do recente ataque hacker que derrubou o site da varejista na última quinta-feira (19).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

Segundo comunicado recente da companhia, a Renner não pagou por resgate de qualquer espécie por dados após o ataque hacker. A atualização do comunicado foi divulgada nesta terça-feira (24).

A empresa reiterou que os principais bancos de dados permanecem preservados. Além disso, informou que neste momento, todos os sistemas prioritários já estão operacionais.

Segundo o comunicado, as lojas permaneceram abertas e operando durante todo o tempo desde o ataque, com indisponibilidade de apenas alguns processos por algumas horas da quinta-feira.

A operação de e-commerce foi restabelecida no site na manhã do dia 21 (sábado) e, nos aplicativos, no dia 22 (domingo). Apesar disso, o retorno ainda manteve instabilidade nas plataformas.

“As equipes permanecem mobilizadas de acordo com o plano de proteção e recuperação, com todos os seus protocolos de controle e segurança, e com um trabalho de apuração, documentação e investigação sobre o ocorrido”, escreve a Lojas Renner no documento agora divulgado.

Contudo, a Renner afirma que nenhuma loja física teve atividades interrompidas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Essa é a primeira atualização da companhia sobre o tema na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) desde sexta-feira (20) pela manhã, quando lançou um comunicado dizendo que suas equipes continuavam trabalhando para restabelecer o e-commerce após o ataque cibernético que retirou os sistemas do ar.

Hacker teria pedido criptomoedas à Renner

Segundo informações do Brazil Journal, o hacker responsável pelo ataque cibernético pediu criptomoedas como pagamento de resgate.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

A ameaça do criminoso foi de que se o valor não fosse pago pela empresa, haveria grave perda de dados. Não foi informado quanto o hacker pediu em troca dos dados sequestrados, contudo, o LiveCoins afirma que o montante solicitado era de US$ 1 bilhão (R$ 5,42 bilhões).

Cotação de LREN3

As ações da Renner seguem em alta de 0,79% no intradia desta terça (24), entoando a tendência de alta do Ibovespa.

No acumulado mensal, contudo, a Renner fica em queda de 9,8%. Desde o início do ano, a queda é de 8,4%.

Com informações do Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno