Reforma Administrativa pode ser aprovada até início de setembro, diz Arthur Lira

Reforma Administrativa pode ser aprovada até início de setembro, diz Arthur Lira
O presidente da Câmara dos Deputados se reunirá com o relator da reforma administrativa na próxima segunda (28) - Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma administrativa pode ser aprovada até o início do mês de setembro, já contando com os dois turnos. O prognóstico é do Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

“Eu tenho uma reunião na segunda-feira à noite com o relator da reforma administrativa, o deputado Arthur Maia (DEM-BA), e o presidente da comissão, deputado Fernando Monteiro (PP-PE), para que a gente tenha o plano de trabalho sobre essas discussões”, disse Lira em live promovida pelo veículo Jota.

“É possível que, entre em recesso que nós vamos ter, entre o final de agosto e começo de setembro, a Câmara já envie para o Senado e o Senado tenha até o final do ano (para) entregar para o Brasil uma reforma administrativa”, acrescentou.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Para Lira, o tema deve gerar “discussões acaloradas” porque faz parte da bandeira de alguns partidos da Câmara.

Novo Bolsa Família

Sobre a criação de novo programa social, que poderá substituir do Bolsa Família, Lira disse que o governo precisa enviar logo o projeto que irá criar o novo programa de renda mínima no País. Ele destacou ser necessário encontrar fontes orçamentárias para que o programa se sustente.

“Nós temos prazos, temos limitações legais, circunstâncias que realmente são impostas e que temos de atentar. Penso que muito rapidamente o governo deve estar mandando as alternativas para que a Câmara, se possível, ainda neste primeiro semestre faça as primeiras votações de uma preparação para que, logo após o recesso, venha justamente o modo legal e legislativo proposto pelo Executivo”, disse.

Para ele, o programa precisa ser mais inclusivo. “Não será feito nenhum programa de renda que desrespeite o teto de gastos“, disse.

Para além da reforma administrativa: fiscal, emprego e impeachment

Lira afirmou ainda que o Brasil precisa dar demonstrações claras de que tem rigor fiscal.

O presidente da Câmara disse acreditar que, no ritmo que a economia anda, com a criação de empregos, o número de desempregados poderá chegar a 8 milhões antes das eleições de 2022.

E voltou a dizer ainda, na mesma live em que tratou da reforma administrativa, que não há condições políticas para impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Com informações do Estadão Conteúdo

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores FIIS

Baixar agora!