Grana na conta

Com queda de 30,6%, Cielo tem lucro líquido de R$ 724,11 mi em 2018

A Cielo, anunciou um lucro líquido de R$ 724,1 milhões no último semestre de 2018. No entanto, o montante foi 30,6% inferior ao do ano ano anterior, onde o lucro foi de R$ 1,043 bilhão.

A Cielo (CIEL3) é controlada pelo Bradesco (BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3).

No acumulado de 2018, a empresa obteve uma receita de R$ 3,286 bilhões equivalente a um baixa de 19% em relação ao ano anterior, onde somou R$ 4,056 bilhões.

Essa é a primeira vez que a empresa aponta queda em seu lucro anual, desde 2009, quando abriu capital na bolsa.

Conforme o relatório que acompanha as demonstrações financeiras, a companhia afirma que o ano de 2018 foi “repleto de desafios e com mudanças relevantes dentro e fora” da organização.

A empresa está sob novo comando desde novembro, quando Paulo Caffarelli, ex-Banco do Brasil, ocupou a vaga de Eduardo Gouveia.

De acordo com a Cielo, durante o ano passado o mercado de meios de pagamento foi muito competitivo, por conta do processo de abertura do segmento e também de novas regulamentações.

No entanto, a companhia diz que vai buscar novos segmentos do setor para se reafirmar na liderança.

“Entendendo ser esse o momento de se reafirmar como a líder da indústria, preservando sua posição de liderança nos segmentos em que já atua e procurando conquistá-la em segmentos pouco explorados pela Companhia, a Cielo adotou postura mais arrojada e agressiva, no sentido de capturar parte relevante do crescimento de um mercado que possui enorme potencial”, afirma a Cielo.

Saiba mais: Banco Inter tem lucro líquido de R$ 74,2 milhões, mas ações caem 7%

Saiba mais: Ford Motor tem prejuízo líquido de US$ 116 mi no 4º trimestre de 2018

Bons sinais

De acordo com a empresa, a venda de 483 mil maquininhas da Stelo, em seu primeiro ano de operação, já apontam os primeiros sinais positivos dessas iniciativas. A Stelo opera como subsidiária integral da Cielo.

No entanto, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) da companhia foi de R$ 1,092 bilhão no último semestre de 2018. Desta forma, o montante registra uma queda de 20,8% quando comparado a 2017, quando somou R$ 1,378 bilhão.

No acumulado do ano, o Ebitda foi de R$ 4,635 bilhões, recuo de 12,2% em relação a 2017, quando foi obtido R$5,278 bilhões.

No terceiro trimestre de de 2018, a receita líquida foi de R$ 3,012 bilhões. No entanto houve baixa de 0,8% comparado ao ano anterior, quando foi adquirido R$ 3,037 bilhões.

No acumulado de 2018, a Cielo anunciou um capital de R$ 11,686 bilhões, 0,7% superior a 2017, quando anunciou um montante de R$ 11,600 bilhões.

Renan Bandeira

Compartilhe sua opinião