BofA mantém recomendação neutra após a joint venture da Porto Seguro (PSSA3) com a Cosan (CSAN3)

BofA mantém recomendação neutra após a joint venture da Porto Seguro (PSSA3) com a Cosan (CSAN3)
Porto Seguro (PSSA3). Foto: divulgação.

A Porto Seguro (PSSA3) e a Cosan (CSAN3) anunciaram uma parceria para explorar a contratação de veículos, gestão de frota para empresas e outros tipos de locação de automóveis. A joint venture, que se chamará Mobitech, deve contar com um investimento de R$ 300 milhões da Cosan, enquanto a Porto surge com a oferta do serviço de assinatura Carro Fácil. Cada empresa passará a deter 50% do novo empreendimento.

Na análise de especialistas do Bank of America (BOAC34), a parceria é positiva para a Porto Seguro, porque acelera as receitas de serviço, e abre possibilidade para vendas cruzadas no ecossistema da Cosan — o que, por sua vez, também deve oferecer redução de custos para a companhia.

Mesmo vendo a notícia como boa, o BofA manteve sua recomendação neutra para as ações da Porto Seguro, já que a empresa deve ter desafios com a alta da inflação nos próximos trimestres. O banco definiu preço-alvo de R$ 30, acreditando que a Mobitech deve contribuir pouco nos resultados financeiros da companhia.

Segundo o BofA, a Cosan tem potencial para fornecer acesso a 7,3 mil postos de gasolina em mais de 2 mil municípios; ter uma frota de 13 mil veículos (2/3 pesados, 1/3 leves); dar acesso a 150 mil caminhoneiros; manter 80 mil pontos de venda de lubrificantes e R$ 6 bilhões em transações na ShellBox.

A Porto disponibiliza acesso a 12 mil prestadores de serviços, 5,8 milhões de veículos segurados, 35 mil corretores independentes e 11 milhões de clientes.

A parceria visa oferecer modelos de assinatura de veículos, gestão de frotas para empresas e outras modalidades de locação de veículos. A Mobitech terá gerenciamento independente e estruturas de governança corporativa. O negócio aguarda a aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Porto Seguro aprova aumento de capital social

A Porto Seguro aprovou em outubro o aumento de capital social no valor de R$ 4 bilhões, com a capitalização de reservas de lucros e a bonificação de ações aos acionistas.

A seguradora explica que o aumento no seu capital social foi realizado mediante a capitalização do saldo total da reserva para manutenção de participações societárias, no valor de R$ 3,340 bilhões e parte do saldo da reserva legal, no total de R$ 659,799 milhões.

Com o novo aumento, o capital social da Porto Seguro passou a ser de R$ 8,5 bilhões, dividido em 646.586.060 ações ordinárias.

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!