PIB da Espanha cai 18,5% no 2º trimestre; país entra em recessão

PIB da Espanha cai 18,5% no 2º trimestre; país entra em recessão
PIB

A Espanha registrou uma queda significativa de 18,5% do Produto Interno Bruto (PIB) na comparação com o trimestre anterior. De acordo com Instituto Nacional de Estatística (INE), essa recessão é devido aos efeitos da pandemia do novo coronavírus (covid-19) na economia.

No primeiro trimestre o país europeu registrou queda de 5,2% do PIB, portanto, a Espanha registrou dois períodos consecutivos de baixa, o que caracteriza tecnicamente uma recessão econômica. O segundo trimestre foi marcado pelo confinamento social rígido o que paralisou por duas semanas todas as atividades essenciais.

Para o ano de 2020, o governo espanhol estima uma contração de 9,2%. Já o Banco da Espanha tem uma previsão mais pessimista, queda de 15% em 2020.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais.

Os setores do comércio, transportes e hotelaria registraram uma redução de 40%, em comparação com o primeiro trimestre. A construção civil registrou queda de 24% e a indústria de 18,5%. O turismo, que representa 12% do PIB da Espanha, foi muito afetado, retrocesso de 60% de sua receita, em relação ao mesmo período em 2019.

O INE destacou também que o consumo das famílias caiu 21% na comparação com o trimestre anterior. Os investimentos das empresas recuaram 22% e as exportações retrocederam mais de um terço em relação ao primeiro trimestre.

A taxa de desemprego subiu a 15,3% em junho e o governo calcula que até o fim do ano essa taxa atinja 19%.

O pacote de estímulos anunciado pela União Europeia, em 21 de julho, vai beneficiar a Espanha em 140 bilhões de euros (R$ 855,3 bilhões), do total de 750 bilhões de euros do plano. A Espanha foi um dos países mais afetados da Europa pela pandemia, com mais de 28.400 mortos.

PIB da União Europeia contrai 3,8% no primeiro trimestre

O PIB da zona do euro caiu 3,8% no primeiro trimestre deste ano, em comparação aos últimos três meses do ano passado. Essa é a maior queda trimestral desde 1995, início da série histórica. As informações revisadas foram divulgadas pela agência de estatísticas da União Europeia (UE), Eurostat.

O resultado oficial está alinhado com o que analistas consultados pelo jornal “The Wall Street Journal” estimavam. Em relação ao período de janeiro a março de 2019, o PIB caiu 3,2%.

Já em termos anualizados, o PIB dos países que compõem a UE caiu 14,2%. A expectativa inicial, porém, era de um tombo de 14,4% na mesma base comparativa.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO