Petrobras (PETR4) assina parceria com empresa chinesa para transição energética

A Petrobras (PETR4) assinou na quarta-feira (17) um protocolo de intenções com a China National Chemical Energy Company (CNCEC) abrangendo diversas áreas, com destaque para energias renováveis e transição energética.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2022/04/Banner-Noticias-1000x325-20.jpg

Segundo a Petrobras (PETR4), a parceria também prevê a avaliação de potenciais acordos comerciais nas áreas de:

  • Exploração de petróleo;
  • Produção de fertilizantes a partir de gás natural e outras fontes;
  • Desenvolvimento da produção, refino, biorrefino e petroquímica;
  • Engenharia, construção e serviços;
  • Pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Ainda de acordo com a estatal, o acordo da Petrobras com a CNCEC terá duração de dois anos e será imediatamente ativado com a análise conjunta de ativos de fertilizantes e petroquímica.

Petrobras (PETR4) aprova reativação de fábrica de fertilizantes no Paraná

A Petrobras informou que sua diretoria executiva aprovou nesta quarta-feira (17), por unanimidade, as medidas iniciais para a revitalização e futura retomada das operações da fábrica de fertilizantes Araucária Nitrogenados (ANSA), subsidiária integral da companhia. A planta, localizada no Paraná, está hibernada desde 2020.

Situada ao lado da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR), a ANSA possui capacidade de produção de 720 mil toneladas por ano de ureia e 475 mil toneladas por ano de amônia, além de 450 mil metros cúbicos por ano do Agente Redutor Líquido Automotivo (ARLA 32).

“Diante da revisão das diretrizes estratégicas da companhia aprovadas no ano passado, o investimento na produção de fertilizantes voltou a fazer parte do portfólio da Petrobras. Na primeira fase desta reentrada no setor, a estratégia tem sido reconfigurar e consolidar operações viáveis em ativos que já pertencem à companhia”, escreve a estatal.

Em relação à ANSA, a diretoria executiva aprovou a negociação com ex-empregados e, junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), dos termos da contratação, além do início dos trâmites para contratação de serviços de manutenção e materiais críticos relativos à retomada da planta industrial.

“Tanto os acordos trabalhistas quanto a realização das licitações e contratações ficarão condicionados a uma nova deliberação da diretoria executiva, quando os procedimentos estiverem bem definidos. Além disso, a diretoria da Petrobras recomendou que a ANSA realize trabalhos de campo, buscando a otimização do escopo da parada programada e avaliação da integridade dos equipamentos”, acrescenta a companhia.

A Petrobras informa ainda que a partir da próxima semana, várias áreas técnicas e administrativas da estatal continuarão trabalhando em análises, consultas e recomendações internas com vistas a prover todas as condições para as próximas deliberações a respeito da retomada das operações da ANSA.

“A Diretoria de Processos Industriais também já iniciou os estudos para reativar a unidade de produção de ARLA 32 e o trading de fertilizantes nitrogenados, ureia pecuária e industrial, com vistas a voltar ao mercado e se antecipar ao início da produção”, finaliza a Petrobras.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião