Petrobras (PETR4) e BP fecham acordo para projetos sustentáveis

A Petrobras (PETR4) assinou com a BP um memorando de entendimentos (MoU) para promover oportunidades de cooperação e negócios entre as empresas, conforme comunicado pela estatal nesta quinta-feira (18).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

O acordo não vinculante da Petrobras contempla temas como combustíveis sustentáveis, créditos de carbono, biorrefino e exploração e produção.

“Petrobras e bp são parceiras em blocos exploratórios no segmento de Exploração & Produção, dentre eles Alto de Cabo Frio Central, na Bacia de Campos, e Bacia de Barreirinhas, todos operados pela Petrobras”, diz o comunicado da companhia.

Além disso, ambas as empresas também visam atuar em conjunto em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Presidente da Petrobras nega possibilidade de aumento do preço dos combustíveis

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates descartou uma eventual decisão de aumentar combustíveis no Brasil no curto prazo.

Em declarações no evento “O Fortalecimento da Indústria Naval Nacional e o Setor Energético Offshore”, no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (18), o presidente da Petrobras disse que não há motivos para um reajuste imediato nos combustíveis.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

“Estamos avaliando as condições todas de mercado. Não há razão nenhuma para aumento agora. Não esta sendo avaliado (aumento para as próximas semanas). Estamos monitorando o cenário internacional. Por enquanto não há nada que faça mover. E o preço do petróleo indica isso”, declarou Jean Paul Prates.

A fala ocorre em meio a uma disparidade relevante entre o preço do petróleo e os preços praticados pela estatal.

Isso considerando que o Brent tem operado próximo a US$ 90 nos últimos dias. Segundo dados da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), nesse cenário a defasagem é de 20% em relação ao cenário internacional em se tratando do preço da gasolina.

No caso do diesel, a defasagem é de 10%.

O último reajuste feito pela companhia foi em outubro de 2023, com um corte no valor da gasolina, saindo de R$ 2,93 para R$ 2,81 no repasse às refinarias.

Já no caso do diesel ocorreu um corte pela Petrobras em dezembro, de R$ 3,78 para R$ 3,48.

e

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno