Petrobras (PETR4): Bolsonaro critica política de preços e convoca reunião para tarde

O presidente Jair Bolsonaro, disse nesta segunda-feira, 7, que convocou reunião para esta tarde (7) com os Ministérios da Economia e de Minas e Energia a fim de discutir a política de preços da Petrobras (PETR4) e o salto das cotações do petróleo. Representantes da estatal também devem participar do encontro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Às 14h00, as ações da Petrobras recuavam 3,07% no caso das preferenciais (PETR4) e 4,63% no caso das ordinárias (PETR3).

Bolsonaro voltou a criticar, mais cedo, a política de preços na venda de derivados de petróleo às distribuidoras, que equipara o valor dos combustíveis à cotação internacional do petróleo, e disse que a medida “não pode continuar”.

Em meio aos impactos da guerra na Ucrânia sobre o valor do petróleo, o governo convocou a reunião interministerial para avaliar um novo programa de subsídio aos combustíveis, com validade de três a seis meses. O objetivo é evitar um repasse dos preços para as bombas dos postos de gasolina.

“O preço altíssimo do petróleo é anormal, atípico. O governo federal, nós, juntamente com Economia agora à tarde, Ministério de Minas e Energia e própria Petrobras, vamos buscar alternativa. Porque se for repassar isso tudo para o preço dos combustíveis, tem que dar aumento de 50%, não é admissível”, disse Bolsonaro em entrevista à Rádio Folha de Roraima.

Segundo o presidente, “tem legislação errada, feita lá atrás, em que se tem paridade com preço internacional. O que é tirado do petróleo leva-se em conta o preço fora do Brasil, isso não pode continuar acontecendo. Estamos vendo isso aí sem mexer, sem nenhum sobressalto no mercado”.

“Leis feitas no passado são o grande problema. Vamos buscar solução de forma bastante responsável”, acrescentou.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

De acordo com o presidente, o salto de preços do petróleo é grave, mas pode ser resolvido. “O mundo está passando por isso, mas nós temos alternativas. Perto da Europa, estamos em situação privilegiada. A população não aguenta alta nesse porcentual no Brasil”.

Durante a madrugada desta segunda-feira, o barril de petróleo tipo Brent, referência internacional, saltou para quase US$ 140 com as notícias de embargo ao petróleo e gás russos. Na manhã de hoje, o barril de Brent é cotado a US$ 122,24 dólares, alta de 3,35% no dia, e o WTI sai por US$ 118,94, aumento de 1,81%

O último reajuste de preço na venda da gasolina e diesel da Petrobras às distribuidoras foi anunciado em 11 de janeiro deste ano, antes da disparada recente causada pelo conflito no leste europeu e após hiato de 77 dias sem aumentos.

(Com informações de Estadão Conteúdo.)

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

Pedro Caramuru

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno