Semana do ESG

Petrobras (PETR4) aumenta preços do querosene de aviação em julho; no ano, alta é de 70%

Petrobras (PETR4) aumenta preços do querosene de aviação em julho; no ano, alta é de 70%
Petrobras (PETR4). Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) divulgou nesta terça-feira (5) que o preço do querosene de aviação (QAV) vendido pela Petrobras (PETR4) cresceu 3,9% em 15 refinarias, no último dia 1º de julho, em relação ao mês anterior.

Entre janeiro e julho de 2022, o aumento do querosene alcança 70,6%, de acordo com os dados da entidade. Por consequência, as companhias aéreas sentem a pressão dos valores e repassam para os preços nas passagens para os consumidores. No total de 2021, o combustível usado por aeronaves viu uma alta de 92%.

O QAV representa mais de um terço dos custos totais das companhias aéreas. A Abear aponta que o preço do combustível no Brasil chega a ser até 40% mais caro do que no exterior.

“Mais uma vez o reajuste mensal no preço do QAV comprova os desafios que as associadas ABEAR enfrentam diariamente com a escalada dos custos estruturais, principalmente com o QAV”, afirma o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, em nota.

Os preços de venda de querosene de aviação (QAV) da Petrobras às companhias distribuidoras são ajustados mensalmente.

Leia mais

Petrobras (PETR4) vende fatia de 27,8% na Deten por R$ 514 milhões

Petrobras (PETR4) informou nesta terça-feira (5) que vendeu sua participação de 27,88% na Deten Química, localizada no polo industrial de Camaçari, no estado da Bahia, para a empresa Cepsa Química, que já possui participação indireta na Deten, de 69,94%.

Conforme o fato relevante enviado à CVM, a Petrobras afirmou que a operação foi concluída após o cumprimento de todas as condições precedentes, após ter sido anunciada inicialmente em abril.

No total, a petroleira recebeu R$ 514 milhões em pagamento à vista. O valor reflete o preço de compra de R$ 585 milhões, ajustado em função de correção monetária, dividendos recebidos e abatimento do valor do depósito pago na assinatura do contrato de compra e venda de ações.

A Petrobras também ressaltou que a venda da fatia está alinhada à otimização do portfólio e à melhora de alocação do capital da companhia, visando a geração de valor para os seus acionistas.

A Deten é uma fábrica que vende as principais matérias-primas para o segmento de limpeza doméstica e comercial no Brasil, sendo a única produtora nacional do Linear Alquilbenzeno (LAB), precursor do Ácido Linear Alquilbenzeno Sulfonato (LABSA), do qual também é fabricante.

A Cepsa Química é líder mundial no setor em que atua e lidera a produção mundial de LAB, principal matéria-prima utilizada em detergentes biodegradáveis, sendo um player pioneiro.

Cotação

As ações preferenciais da Petrobras encerraram a terça-feira em queda de 3,81%, a R$ 28,03. No ano, acumula queda de 3,64%.

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO