Ouro fecha em baixa com tensões geopolíticas contidas e menor pressão de câmbio

O ouro fechou em leve baixa nesta terça-feira (23) à medida que arrefecem as preocupações de escalada nas tensões entre Irã e Israel.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

A retração do dólar e dos juros dos Treasuries também serviram de impulso para a cotação do ouro.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho fechou em queda de 0,18%, a US$ 2.342,10 a onça-troy.

“Há vários ventos contrários”, comentou o Commerzbank em relatório.

Além da “desprecificação” dos riscos geopolíticos, o banco cita as expectativas de juros altos nos EUA como outro fator baixista para o ouro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Ouro segue em nível historicamente alto

O Commerzbank acredita, porém, que o potencial de queda adicional no preço do metal deve permanecer limitado.

Mesmo com a desvalorização desta terça, o preço do ouro continua rondando níveis historicamente elevados, após o forte rali recente.

O analista Carsten Menke, do Julius Baer, disse ter uma visão mais comedida sobre as narrativas que o mercado tem usado para explicar o viés de alta do metal.

“Consideramos a recente queda do ouro em relação às suas máximas como um teste dessas narrativas e continuamos cautelosos”, escreveu Menke, em nota a clientes.

“A julgar pelos dados reais da demanda subjacente, elas não são tão fortes como se percebe à primeira vista”, completou, sobre o ouro.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião