Semana do Fiagro

Nubank (NUBR33) vê crise global como ‘momento ideal’ para aquisições

O Nubank (NUBR33) considera o momento atual da economia como “ideal” para fazer aquisições, e espera fazer bons negócios a preços menores.

O contexto é de juros altos e inflação recorde nos EUA, além de um IPCA de dois dígitos no Brasil – o que tem feito, inclusive, analistas piorarem suas expectativas para as ações do Nubank, que caem quase 70% nas ações desde a estreia, o dado o risco de crédito.

Além disso, startups têm realizado demissões em massa nas últimas semanas, mostrando uma piora da saúde financeira dessas companhias.

Contudo, David Vélez, CEO do Nubank, segue otimista e vê possíveis compras a preços menores.

“Algumas das conversas de fusões e aquisições que tivemos 12 meses atrás estão voltando com um desconto de 70%. . . Procuraremos fazer mais fusões e aquisições“, disse o executivo em entrevista ao Financial Times.

Justamente por conta desse cenário turbulento, Vélez vê uma melhora de cenário para o banco digital, mirando uma resiliência no futuro com novas compras. “Isso permitirá a sobrevivência dos mais aptos”, disse Vélez.

A tese é de que, com as aquisições do Nubank, a companhia tenha uma maior consolidação no segmento, dada a alta competitividade do setor.

Vélez disse que o crescimento de fintechs “provavelmente foi demais” nos últimos anos, e isso deve resultar em um agrupamento.

“Os consumidores não terão 20 aplicativos de pagamento diferentes em seus smartphones. É muito complexo. Você pode ter três ou quatro, não 20.”

Analisando Nubank, BBA vê ‘tempestade’ à frente

Em parecer recente os analistas do Itaú BBA pioraram as suas expectativas para as ações do Nubank listadas na NYSE. Agora, o preço-alvo é de US$ 4,50, ante US$ 3,47 de cotação atual.

A casa projeta que “uma tempestade deve vir à frente” para a companhia, entoando a tese de risco de crédito, citada por outros bancos e corretoras.

Mesmo que o preço-alvo do BBA tenha ficado acima da cotação das ações do Nubank atualmente, os analistas seguem com recomendação de venda para os papéis, sob o rótulo de ‘underperform’.

“Apesar do preço atual das ações ser mais atrativo, recomendamos que os investidores fiquem longe. O momento dos ganhos provavelmente permanecerá negativo”.

Os analistas veem o valuation como injustificável e citam uma volatilidade muito alta, além de múltiplos pouco atrativos. As projeções são de que os papéis sejam negociados a 4x o valor patrimonial da companhia (P/VP) e 26x lucro no ano de 2023.

“Eles estão estão trazendo mais receita de juros, de fato, mas também criam um ambiente nebuloso sobre o risco de crédito de médio prazo, a nosso ver. Por isso acreditamos que os índices de inadimplência do Nubank cresceram rapidamente e que a empresa poderá em breve ter que desacelerar o crescimento da carteira de empréstimos”, diz o relatório.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO