Netflix (NFLX34) cobrará adicional por cada casa; entenda

A Netflix (NFLX34) passará a cobrar um adicional de usuários que acessem suas contas em mais de uma residência.

Netflix perdeu assinantes pela 1ª vez em dez anos

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

A decisão foi comunicada oficialmente pela Netflix nesta segunda (18), e deve valer para um total de cinco países latino-americanos, mas não inclui o Brasil.

Os clientes da empresa na Argentina, República Dominicana, Honduras, El Salvador e Guatemala que quiserem utilizar o serviço em mais de uma casa terão que pagar um adicional entre US$ 1,70 e US$ 2,99, a depender do país.

“Estamos explorando com cuidado diferentes maneiras para que as pessoas que querem compartilhar suas contas paguem um pouco mais”, afirmou a Netflix em comunicado.

Segundo a companhia de streaming de filmes, serão uma a três casas adicionais diferentes, dependendo do tipo de assinatura, mas isso não deverá afetar o acesso em um notebook ou tablet em uma viagem.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/BANNER-NOTICIA-DESK-2.png

Vale lembrar que, atualmente, Chile, Costa Rica e Peru têm um recurso semelhante desde março deste ano, mas que funciona a partir de usuários, e não de endereços.

A cada membro adicional na conta, é necessário pagar um adicional.

“A disseminação do compartilhamento de contas mina, no longo prazo, a nossa habilidade de longo prazo de investir e melhor nosso serviço”, diz o comunicado da Netflix.

A decisão vem em meio a uma deterioração dos números de assinantes da companhia.

Segundo a dados da Similarweb, a Netflix perdeu quase 25% de seu tráfego de streaming para outras plataformas de conteúdo nos últimos três anos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Planilha-controle-de-gastos.png

Netflix perdeu assinantes pela 1ª vez em dez anos

A Netflix deve divulgar seu resultado financeiro ainda nesta terça-feira (19), sendo referente à operação ao segundo trimestre de 2022.

No primeiro trimestre, a companhia teve a sua primeira queda de assinantes em uma década. O número líquido de assinantes pagos do serviço de streaming teve queda de 200 mil e a empresa projeta que esse componente tenha recuo de 2 milhões no segundo trimestre — a primeira vez em que isso aconteceu em dez anos.

Isso fez com que as ações do Netflix despencassem 25% no after hours e cerca de 35% nos pregões seguintes.

No período, a Netflix apurou lucro de US$ 1,6 bilhão, recuo ante US$ 1,707 bilhão em igual período do ano passado. O lucro líquido diluído por ação ficou em US$ 3,53, de US$ 3,75 anteriormente. Analistas ouvidos pelo FactSet previam US$ 2,90.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno