DIVIDENDOS

Nem Netflix escapa da inflação; assinatura encareceu e pode custar até R$ 55,90

Nem o serviço de streaming escapou da inflação. A Netflix anunciou a revisão dos seus planos de assinatura e preços ficam entre R$ 25,90 a R$ 55,90

Nem Netflix escapa da inflação; assinatura encareceu e pode custar até R$ 55,90
Netflix. Foto de freestocks.org no Pexels

A Netflix anunciou nesta semana que irá aumentar em 22% os preços dos seus planos de assinaturas no Brasil. Em um ano marcado pela inflação, nem os serviços de streaming passaram ilesos pela alta dos preços. A partir da quinta-feira (22), os valores passam a variar entre R$ 25,90 e R$ 55,90. 

Antigos assinantes serão comunicados nos próximos 30 dias sobre os novos preços e terão um mês para escolher se ficam com o mesmo pacote ou não. Já os novos assinantes da Netflix passam a contratar o serviços com os valores reajustados.

Se não recebeu o comunicado ainda, não se alarde. A data de contato depende do ciclo de faturamento de cada um e o mês de escolha serve para todos os clientes do streaming

Em nota, a empresa afirmou que não revia seus valores desde 2019 e a manutenção dos preços como estavam comprometeria a ampliação do catálogo de filmes e séries no futuro. De acordo com a Netflix, o aumento visa a “entrega de uma experiência ainda melhor para os assinantes”.


Confira novos preços da Netflix: 

  • Básico (1 tela): de R$ 21,90 para R$ 25,90 
  • Padrão (2 telas, qualidade de vídeo em Full HD): de R$ 32,90 para R$ 39,90 
  • Premium (4 telas, qualidade de vídeo em Ultra HD, HDR, Dolby Atmos): de R$ 45,90 para R$ 55,90 

A Netflix ainda reforça que oferece três opções de planos “para que as pessoas possam escolher um preço dentro de suas necessidades”. 

Menos clientes que o esperado 

A revisão de planos acontece em um momento delicado para o site de entretenimento. Além de ver o número de concorrentes aumentar nos últimos meses com o lançamento de novos streamings como Disney + e HBO Max, o número de novos clientes veio abaixo do previsto no relatório do segundo trimestre de 2021

No total, a companhia somou 209 milhões de assinaturas pagas no período, sendo 1,54 milhão de novos assinantes. Porém, o esperado era 1,75 milhão, segundo dados da Factset.

A América Latina ainda foi a região onde a Netflix teve o menor crescimento ano a ano, subindo apenas 1%. Os países latinos também são os que tiveram a menor tarifa média no 2T21, de US$ 7,50 por membro.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se