Confira as 5 maiores altas no índice Nasdaq 100 em julho

Confira as 5 maiores altas no índice Nasdaq 100 em julho
Nasdaq. Foto: Pixabay

O Nasdaq 100 fechou as negociações de julho cotado a 15.048,36 pontos, em uma alta mensal de 2,78% depois de ter subido 6,34% em junho. O índice da bolsa norte-americana reúne as 100 maiores empresas não financeiras da NASDAQ.

Apesar de fechar o mês em alta, o índice Nasdaq 100 encerrou o último pregão de julho, na sexta-feira (30), em uma queda de 0,59% em comparação com o dia anterior.

No sétimo mês do ano, Wall Street voltou suas atenções para à temporada de balanços corporativos, divulgação de dados econômicos norte-americanos e decisões do Federal Reserve em relação à política monetária.

Além do Nasdaq, confira o encerramento dos outros principais índices americanos no último pregão do mês:

Reforçando que esta matéria não é uma recomendação de investimento, confira as cinco ações do Nasdaq 100 que mais se valorizaram em julho.

  1. Moderna: +50,48%
  2. Atlassian: +26,57%
  3. DexCom: +20,73%
  4. Align Technology: +13,88%
  5. AMD: +13,05%

1. Moderna aumenta ganhos

As ações da Moderna (NASDAQ: MRNA), empresa farmacêutica e de biotecnologia com sede em Cambridge, Massachusetts (EUA), conhecida por produzir vacinas contra a Covid-19, continuam subindo por causa da demanda da imunização em massa.

A empresa desenvolve nove vacinas e medicamentos para imunologia e doenças raras. As perspectivas com a vacinação ajudaram a Moderna a obter valorização de 47,09% em julho.

2. Atlassian salta com balanço surpreendente

Os papéis da Atlassian (NASDAQ: TEAM) dispararam quase 22% no último pregão do mês e empurraram a empresa para o segundo lugar entre as altas da Nasdaq 100. A companhia por trás dos softwares Jira, Trello e Confluence mostrou um salto de 30% na receita trimestral, para US$ 559,5 milhões e superou os US$ 2 bilhões em 12 meses pela primeira vez na história.

Com o resultado, diversas casas elevaram o preço alvo para o ativo, ajudando na valorização dos papéis.

3. DexCom também dispara após balanço

A empresa que produzi monitores de glicose para pessoas com diabetes mostrou um balanço muito acima das expectativas de Wall Street nesta semana, com alta nas vendas de 32% ano a ano para US$ 595,1 milhões. A Dexcom também planeja lançar a nova geração de seu dispositivo G7 no fim desse ano na Europa.

Com o balanço, analistas de Wall Street revisaram o preço alvo para a casa dos US$ 550 por ação, com recomendação de compra.

O papel DXCM saltou 13% no último pregão de julho, contribuindo para a valorização mensal de 20,73%.

4. Align Technology bate consenso de mercado e sobe

Com a temporada de balanços ditando os rumos das ações, a Align (NASDAQ: ALGN) mostrou ganhos de 14% no mês com investidores apostando nas ações após os números do segundo trimestre.

A empresa com atuação no ramo de ortodontia mostrou receita de US$ 1,01 bilhão, alta de 187% ano a ano, e lucro de US$ 3,04 por ação, US$ 0,52 acima do consenso de Wall Street de US$ 2,51.

5. Balanço e ganho de market share faz AMD saltar 13% no mês

A produtora de chips e processadores AMD (NASDAQ:AMD) registraram um mês de fortes ganhos após a CEO, Lisa Su, fazer comentários positivos sobre as expectativas em relação ao setor de semicondutores e elevar o guidance da companhia para este ano. Até 2025, Lisa acredita que a AMD irá superar a Intel em participação de mercado.

A AMD bateu seu recorde histórico superou o consenso de mercado com lucro de US$ 0,63 por ação e receita de US$ 3,85 bilhões e ficou como a quinta maior alta do Nasdaq 100 em julho.

 

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se