Quais são as melhores ações no exterior para investir em 2024?

Escolher ações no exterior pode ser uma das opções atrativas para os investidores que desejam diversificar seus ativos em outras economias, moedas e até mesmo diluir os riscos associados ao Brasil.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Mas quais são as melhores ações no exterior para investir em 2024? Em um vídeo publicado no canal do YouTube da Suno, o especialista Alberto Amparo, analista CNPI da Suno, destacou algumas das opções que ele considera interessantes.

As 3 empresas citadas foram Pampa Energía (PAMP), Ally Financial (ALLY) e Google/Alphabet (GOOGL). Por quais razões ele está otimista com essas empresas?

Pampa Energía (PAMP)

Uma das ações no exterior indicadas por Amparo é a Pampa Energía (PAMP), empresa da Argentina que está valendo hoje cerca de US$ 2,4 bilhões.

A Pampa é a maior companhia da Argentina no ramo de geração de energia e conta com uma capacidade instalada em torno de 5 gigawatts (GW).

“1 Megawatt (MW) custa mais ou menos US$ 1 milhão para se instalar. Então um custo de reposição só nessa parte de geração de energia da Pampa seriam uns US$ 4 bi ou US$ 5 bilhões, mais do que o market cap da empresa”, diz Amparo.

Amparo destaca que embora a Argentina esteja passando por uma situação macroeconômica difícil, em meio à crise, a Pampa energia possui contratos de PPAs (Power Purchase Agreement) que estão atreladas ao dólar.

“Com esses contratos sendo cumpridos, que representam menos da metade da sua capacidade de instalação, a empresa já consegue gerar US$ 200 milhões de fluxo de caixa livre só com o segmento de energia”, destaca o analista.

Além do segmento de energia, a Pampa é uma “gigante” no setor de produção e exploração de gás natural e de petróleo na Argentina.

A Argentina, por sua vez, tem a 2ª maior reserva de gás natural não convencional do mundo. Nesse momento, o país vem incentivando cada vez mais a sua produção de gás natural, e a Pampa Energía teria uma posição forte diante desse cenário.

Ally Financial (ALLY)

As ações da Ally Financial (ALLY), maior banco digital dos Estados Unidos, também foram destacadas por Amparo.

Ele explica que a principal carteira de crédito da companhia é a automobilística. Com o dinheiro economizado na ausência de abertura de agências físicas, a empresa consegue remunerar melhor seus investidores dentro da conta digital, possibilitando que ela tenha uma base “fiel” de clientes depositantes.

Essa base de clientes que depositam dinheiro na Ally Financial vem crescendo ano após ano e é mantida por um baixo custo pela empresa. Esses recursos angariados são utilizados para financiar crédito automobilístico nos Estados Unidos.

Diante do cenário atual do país, ela vem financiando valores para quem deseja adquirir carros a uma taxa de aproximadamente 11% ao ano. Antes da alta dos juros dos EUA, essa taxa estava em torno de 7% ao ano, apresentando um yield médio da carteira na casa dos 8% ao ano.

Com o avanço dos juros nos EUA, a Ally Financial tende a aumentar seu yield da carteira, visto que os novos contratos de financiamento estão sendo firmados com uma taxa maior que a anterior, enquanto os acordos antigos (com yield menor) vêm sendo quitados.

Google/Alphabet (GOOGL)

A Google, controlada pela Alphabet (GOOGL), também é uma das grandes empresas de tecnologia que vêm sendo observadas por Amparo. Além dos negócios mais convencionais, principalmente com as receitas vindas do Google Search, o analista destaca o avanço da big tech no ramo de inteligência artificial e computação quântica.

“Apesar de a Microsoft e a OpenAI estarem ‘na boca do povo’, e as pessoas acharem que a Microsoft é a empresa mais bem posicionada [em inteligência artificial], perceba que o Google estava agindo em inteligência artificial muito antes. A gente só não percebe porque o intuito do que eles fazem não é ter essa interação com a pessoa de varejo como acontece com a OpenAI, por meio do ChatGPT”, explica.

O foco da OpenAI no ramo de inteligência artificial é diferente do Google, que busca desenvolver seus projetos nessa área mais voltados à “tomada de decisões difíceis”.

Por fim, Amparo acredita que a junção da especialidade do Google em criptografia, que vem crescendo nos últimos anos com o uso de inteligência artificial, a empresa se torna uma das promissoras do ponto de vista de novos projetos futuros. – por isso, é uma das alternativas interessantes entre as ações no exterior.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião