Magazine Luiza (MGLU3): Liquidação com recorde de ofertas gera filas

Magazine Luiza (MGLU3): Liquidação com recorde de ofertas gera filas
Magazine Luiza: Lojas abrem com filas nesta sexta (7) após anúncio de liquidação recorde. Foto: Divulgação.

A varejista Magazine Luiza (MGLU3) anunciou que cerca de 5 mil lojistas do seu marketplace participarão do saldão previsto para acontecer entre esta sexta-feira (7) e domingo (9). O número de parceiros é o mais alto já registrado pela plataforma e 3,4 vezes maior que a última promoção desta escala, na Black Friday, em novembro de 2021.

Além da promoção nos meios digitais, a empresa deve retomar o evento nas lojas físicas, “graças ao avanço da vacinação no país”. Os consumidores poderão levar os produtos – como lavadoras de roupa, tanquinhos, geladeiras, fogões e TVs – por preços menores que os praticados na Black Friday.

Hoje, as lojas da empresa amanheceram com filas, que começaram a se formar ainda de madrugada. Segundo a Magazine Luiza, a promoção aposta fortemente no sistema “pegou, levou”, no qual o consumidor leva para casa os produtos, inclusive itens de mostruário, na hora da compra.

São 8 milhões de itens em oferta – 60% a mais que o último evento com 5 milhões – e descontos de até 80% durante os três dias da promoção chamada Liquidação Fantástica.

Ao todo, o maketplace do Magalu conta com 120 mil lojistas ativos, dos quais 4% devem participar da promoção que acontece periodicamente no início de janeiro.

De acordo com a companhia, a “expansão faz parte da estratégia do Magalu de digitalizar o varejo brasileiro e aumentar a variedade de produtos à disposição de seus clientes”.

Descontos do Magazine Luiza acompanham momento do varejo no Brasil

Segundo o economista Rafael Perez, da Suno Research, o efeito da frustração com as vendas no Brasil, desde a Black Friday, é favorecer o acúmulo de estoques. Agora as empresas do varejo buscam se desfazer deles.

“A desaceleração do consumo vem por causa do aumento dos juros, que pegou em cheio a economia”, reforça. De acordo com o especialista, o contexto da massa salarial, renda, inflação e desemprego aliados à incerteza no horizonte sobre a disseminação da Covid-19 fez as pessoas segurarem o consumo.

Em específico, Perez destaca a redução da demanda atual por produtos da linha branca, uma vez que, em antecipação às restrições de circulação em 2020, muitas pessoas aproveitaram o momento de ficar em casa para fazer a troca de eletrodomésticos.

“Isso explica muito o avanço dos descontos que a Magazine Luiza deve fazer”, disse. “Principalmente para quem precisa ser estimulado a consumir. E a melhor forma é sempre com muito desconto.”

Pedro Caramuru

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO